Descrição de chapéu Coronavírus Centro

Prefeitura instala máquinas de lavar roupa para moradores de rua no centro de SP

São cinco pontos equipados com as máquinas, banheiros e chuveiros

São Paulo

Desde o final de abril, a prefeitura de São Paulo, gestão Bruno Covas (PSDB), instalou chuveiros, privadas e máquinas de lavar roupas, por meio da Ação Vidas, nas regiões da Sé e da República, no centro da capital, para pessoas em situação de rua.

Nesta segunda-feira (11), também foram disponibilizadas máquinas de lavar e secar roupas nos largos São Francisco e Paissandu e no Parque Dom Pedro.

O administrador de empresa Vanderlei Gino, que se mudou do Rio Grande do Sul para São Paulo após “perder tudo”, há cerca de dois meses, lavou suas roupas, pela primeira vez, no largo do Paissandu, na manhã desta quarta-feira (13).

Ele afirmou que, por estar temporariamente em situação de rua, sentiu na pele, literalmente, a dificuldade de manter a rotina de higiene. "A lavanderia [da prefeitura] ajuda ao menos para que eu tenha o mínimo de dignidade, já que estou na rua", desabafou.

O administrador de empresa Vanderlei Gino, em situação de rua há cerca de dois meses, lava suas roupas na unidade Ação Vidas do Paissandu, no centro de São Paulo, na manhã desta quarta-feira (13). - Rivaldo Gomes/Folhapress

Um outro morador de rua, pernambucano de 35 anos, diz que que, por causa do uso constante que faz de crack, acaba tendo mais dificuldades em manter a higiene. “Antes [da instalação da Ação Vidas], eu acabava sujando minha roupa. Nenhum comerciante deixa a gente usar os banheiros, quando a coisa aperta.”

Nas últimas semanas, no entanto, ele vai aos banheiros disponibilizados pela prefeitura e também aproveita para lavar suas roupas.

Uma preocupação a menos

Almoçando uma marmita que ganhou de freis franciscanos, Flavio Menezes, 42, aguardava para lavar nove peças de roupa, por volta das 12h20 de quarta-feira, na região da República. Ele havia chegado ao local por volta das 8h.

Vivendo em situação de rua há cerca de três anos, segundo ele por causa de problemas familiares, Menezes afirmou ser a segunda vez que usa a lavanderia do projeto do governo. A lavagem demora cerca de uma hora, mesmo tempo em que as roupas são secas. Ao todo, cada lavanderia da prefeitura conta com duas máquinas de lavar e duas de secar.

“É só chegar cedo que dá para garantir a lavagem da roupa. Antes dessas lavanderias, eu precisava improvisar, quando dava, lavando minhas roupas em torneiras. Mas na maioria das vezes, acabava usando a roupa uma semana [sem lavar] até jogar fora. Agora [com as lavanderias] tenho uma preocupação a menos”, afirmou.

Samara Paula, 29 anos, vive há cerca de dois meses em situação de rua, junto como companheiro. Ela afirmou que a Ação Vidas mudou sua dura rotina de tentar manter e higiene. “Essa iniciativa deveria ser mantida, depois do fim da pandemia do coronavírus”, sugeriu.

Máquinas higienizadas

A reportagem apurou que o tempo médio para a lavagem e a secagem das roupas é de 40 minutos a uma hora, dependendo da unidade.

Na região da Sé e da República, onde as lavanderias foram instaladas primeiro, há maior procura pelo serviço, fazendo com que a espera se estenda um pouco mais. Já no largo do Paissandu, por exemplo, poucas pessoas em situação de rua procuram pelo serviço. Em decorrência disso, há mais tranquilidade para lavar os itens de vestuário.

O sabão e amaciante são colocados nas máquinas de lavar por funcionários da prefeitura. Após a lavagem, tanto as máquinas de lavar como secadoras são higienizadas com álcool.

Quase 140 mil atendimentos

A gestão Covas afirmou ter realizado 137.5554 atendimentos a pessoas em situação de rua, tanto para o uso de banheiros como das lavanderias, na região central da cidade.

Desde o fim de abril, até esta quarta (13), foram realizadas mais de 700 lavagens nas cinco unidades montadas no centro. Em média, segundo o município, são usadas duas caixas de sabão em pó, diariamente, por lavanderia. A quantidade de amaciante não foi informada.

De acordo com a pesquisa censitária da população em situação de rua realizada 2019, haviam 24.344 pessoas nesta condição em São Paulo, sendo a maioria no centro, onde residem e circulam ao menos 11.048 delas.

Serviço

Banhos e Sanitários

  • Praça da Sé
  • Praça da República
  • Praça Cívica Ulisses Guimarães (Parque Dom Pedro II)
  • Largo do Paissandu
  • Praça Ouvidor Pacheco e Silva (Largo São Francisco)

Estações exclusivas de sanitários:

  • Pateo do Collegio
  • Largo General Osório

Funcionamento

  • Todos os dias, das 7h às 19h.

Fonte: Prefeitura de São Paulo

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.