Descrição de chapéu Coronavírus

Tem 60 anos ou mais? Saiba tudo o que é preciso para se vacinar em SP

Veja quais documentos é preciso levar na hora da imunização contra a Covid-19, como fazer cadastro e até quando voltar para segunda dose

São Paulo

A vacinação contra a Covid-19 em São Paulo já está em andamento desde 17 de janeiro, quando ela começou com profissionais da saúde e depois passou para os idosos. Com a imunização em pelo curso, as novas faixas etárias e grupos específicos vêm sendo anunciadas praticamente toda semana pelo governo do estado, gestão João Doria (PSDB).

0
Profissional de saúde aplica vacina em idosa em drive-thru na zona leste de São Paulo - Ronny Santos -26.mar.2021/Folhapress

Nesta quinta-feira (6), a primeira dose estará disponível para aproximadamente 1,4 milhão de pessoas entre 60 e 62 anos no estado de São Paulo. Na capital paulista, são 600 mil pessoas nessa faixa etária.

O grupo dos que têm 60, 61 e 62 anos será o primeiro no estado que receberá doses do imunizante fabricado pela Pfizer. As primeiras 136 mil doses da vacina fabricada pelo laboratório norte-americano chegaram a São Paulo no dia 4 de maio. As demais doses aplicadas para esse público serão da Oxford/AstraZeneca.

Pessoas com comorbidades começam a ser vacinadas no dia 10 de maio. Entre elas estão quem tem síndrome de Down, pacientes renais em diálise e transplantados imunossuprimidos. A Secretaria Estadual da Saúde estima que 120 mil pessoas integrem esses grupos.

Também em maio, começará a imunização dos trabalhadores do transporte público: 10 mil metroviários e ferroviários serão vacinados a partir do dia 11, enquanto 165 mil motoristas e cobradores de ônibus terão a primeira dose disponível a partir do dia 18.

Veja a seguir que é preciso fazer antes de sair de casa para vacinar.

O que levar no dia da vacinação

O Ministério da Saúde afirma que é necessário apresentar um documento oficial de identificação no dia da aplicação. Se a pessoa possuir o CNS (Cartão Nacional de Saúde), conhecido como Cartão SUS, o atendimento é mais rápido. Porém, não é obrigatório.

Se a pessoa a ser vacinada não for cadastrada na base de dados do ministério, o profissional do posto de vacinação poderá registrá-la no momento do atendimento. Para isso, será necessário o número do CPF. A pasta garante que a falta do Cartão SUS não irá impedir a vacinação. Alguns municípios pedem o comprovante de endereço, assim, cheque antes de sair de casa.

Documentos para comprovação

No caso das categorias profissionais já incluídas no calendário oficial de vacinação (trabalhadores da Educação, da Segurança Pública e da Saúde, além de ferroviários, metroviários e motoristas e cobradores de ônibus), será necessário apresentar documentação que comprove a atuação nesses setores.

Aqueles que trabalham em empresas vinculadas à Secretaria de Transportes Metropolitanos receberão um email enviado pela Prodesp (empresa de Tecnologia da Informação do estado) com um QR Code, que servirá para verificação de autenticidade. Esse código deverá ser apresentado no dia da vacinação, juntamente com identidade funcional e documento oficia com foto.

Já os profissionais da Educação que estejam enquadrados nos critérios definidos pela Secretaria de Saúde devem fazer um cadastro no site Vacina Já Educação. Será necessário informar CPF, nome completo e email. Em seguida, o trabalhador receberá no email um link para validação e continuação do cadastro.

"É necessária confirmação dos dados pessoais, indicação do local de atuação e comprovantes para evitar fraudes. Após a conclusão, cada pessoa recebe um comprovante com QR Code para verificação de autenticidade, que deve ser apresentado no posto de vacinação juntamente com RG e CPF. Caso a pessoa não localize o QR Code no e-mail, também é possível gerar o comprovante por meio do site, digitando o CPF e imprimindo o documento", informa a Secretaria da Saúde. Funcionários de escolas particulares também precisam apresentar os dois últimos holerites no momento da vacinação.

Sobre os agentes da Segurança Pública, a Secretaria da Saúde afirma que foi feito um esquema especial para imunização nos locais de trabalho.

No caso das pessoas com síndrome de down, pacientes renais em diálise e transplantados imunossuprimidos, é necessário apresentar um laudo que comprove a condição do paciente. Para os transplantados, a secretaria diz que "é também recomendável a apresentação de receita médica do medicamento imunossupressor em utilização pelo paciente".

Cadastro no sistema estadual

O governo do estado recomenda que, antes da vacinação, seja feito um pré-cadastro no site VacinaJá. Para isso, será necessário informar dados como nome completo, endereço, data de nascimento, CPF, email e telefone para contato.

A Secretaria Estadual da Saúde acrescenta que essa inscrição não serve como agendamento. Entretanto, a pasta garante que o pré-cadastro agiliza o procedimento no dia da imunização e reduz o tempo de atendimento em 90%.

Agendamento

Prefeituras podem fazer algumas alterações no calendário, de acordo com a demanda ou com a oferta de vacinas disponíveis. Em alguns municípios é preciso agendar dia e horário, como em São Bernardo do Campo (ABC) ou Jundiaí (58 km de SP). Por isso, é importante que seja feita uma consulta no site da administração local para confirmação do dia e horário.

Na capital paulista, não é necessário fazer agendamento.

Quem já teve Covid-19

Segundo o governo estadual, mesmo aquelas pessoas que já foram contaminadas pelo novo coronavírus devem receber a vacina para garantir a imunização e a proteção adequada contra a doença.

"Entretanto, recomenda-se o adiamento da vacinação nas pessoas com sintomas respiratórios até a recuperação clínica total - pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas ou quatro semanas a partir do primeiro resultado positivo do exame, mesmo que a pessoa estivesse assintomática", diz a Secretaria da Saúde.

Segunda dose

Depende do fabricante. No caso da Coronavac, fabricada em parceria entre o laboratório chinês Sinovac e o Instituto Butantan, o intervalo entre a primeira e a segunda dose varia entre 14 e 28 dias. Na capital paulista, o reforço passou a ser aplicado 28 dias após a dose inicial.

Se a vacina recebida for a da AstraZeneca, desenvolvida pela Universidade de Oxford e produzida no Brasil pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), ou a da ​Pfizer, o tempo entre a primeira e a segunda dose é de 12 semanas.

Por esse motivo, é essencial que o nome do fabricante esteja escrito no cartão de vacinação e que o paciente fique atento no dia de tomar a segunda aplicação, justamente para evitar que a primeira e a segunda dose sejam de laboratórios diferentes.

Imunização

De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, os níveis adequados de anticorpos contra o coronavírus devem ser alcançados duas semanas após o recebimento da segunda dose.

Sobre o tempo de proteção, ainda não há estudos prontos que indiquem isso com segurança, já que se trata de uma vacina nova.

Protocolos

Antes da aplicação, a vacina deve estar conservada em local refrigerado - uma geladeira ou isopor com termômetro. Se não estiver na temperatura indicada pelo fabricante, o imunizante perde eficácia.

Em seguida, o profissional deve abrir as embalagens da seringa e da agulha na frente do paciente, para que haja certificação de que os materiais estão esterilizados. No momento da aspiração (quando o líquido passa do frasco para a seringa), o cidadão deve observar a quantidade que foi colocada: tanto no caso da Coronavac quanto do imunizante da Oxford/AstraZeneca, a dose é de 0,5 ml.

Enquanto a aplicação estiver sendo feita, o paciente ou um acompanhante deve observar o profissional apertando o êmbolo e esvaziando a seringa.

Após a aplicação, profissional exibe seringa vazia para idosa em São Paulo - Zanone Fraissat -8.abr.2021/Folhapress

Registro

É permitido que o momento da vacinação seja filmado ou fotografado, desde que não se identifique o rosto do funcionário. Em caso de problemas, o paciente pode chamar a Polícia Militar ou fazer uma denúncia no Coren (Conselho Regional de Enfermagem).

Onde acompanhar as novas datas

No site Vacina Já, do governo do estado, é feita a divulgação oficial de quais grupos já estão aptos para tomar a primeira dose e o cronograma das novas datas anunciadas. Porém, também é importante verificar o site da prefeitura do seu município para checar se há alguma alteração local.

Calendário

Grupo Data de início
Trabalhadores de saúde, indígenas
e quilombolas
17 de janeiro
Acima de 90 anos 8 de fevereiro
De 85 a 89 anos 12 de fevereiro
De 80 a 84 anos 27 de fevereiro
De 77 a 79 anos 3 de março
De 75 a 76 anos 15 de março
De 72 a 74 anos 19 de março
De 69 a 71 anos 26 de março
68 anos 2 de abril
Profissionais da Segurança Pública e Administração Penitenciária 5 de abril
Profissionais da Educação
(com mais de 47 anos)
10 de abril
67 anos 12 de abril
De 65 a 66 anos 21 de abril
64 anos 23 de abril
63 anos 29 de abril
De 60 a 62 anos 6 de maio
Pessoas com síndrome de down
(de 18 a 59 anos)
10 de maio
Pacientes renais em diálise
(de 18 a 59 anos)
10 de maio
Transplantados imunossuprimidos
(de 18 a 59 anos)
10 de maio
Metroviários e ferroviários 11 de maio
Pessoas com deficiência permanente (BPC)
(de 55 a 59 anos)
11 de maio
Pessoas com comorbidades
(de 55 a 59 anos)
12 de maio
Pessoas com deficiência permanente (BPC) e pessoas com comorbidades
(de 50 a 54 anos)
14 de maio
Motoristas e cobradores de ônibus 18 de maio

(Fonte: Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo)

O cronograma é definido pelo governo do estado. Porém, cada município pode fazer alterações nas datas de acordo com suas necessidades. Portanto, é recomendado que seja feita confirmação da data no site ou nas redes sociais da prefeitura local.

Comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde

  • Insuficiência cardíaca
  • Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar
  • Cardiopatia hipertensiva
  • Síndromes coronarianas
  • Valvopatias
  • Miocardiopatias e pericardiopatias
  • Doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas
  • Arritmias cardíacas
  • Cardiopatias congênitas no adulto
  • Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
  • Diabetes mellitus
  • Pneumopatias crônicas graves
  • Hipertensão arterial resistente
  • Hipertensão arterial estágio 3
  • Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão de órgãos-alvo
  • Doença cerebrovascular
  • Doença renal crônica
  • Imunossuprimidos
  • Anemia falciforme
  • Obesidade mórbida
  • Cirrose hepática
  • HIV

Critérios: gestantes, puérperas, pessoas com comorbidades e com deficiência

Atenção: o início da vacinação desse grupo foi suspenso após recomendação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Ainda não foi definida nova data para imunização.

Gestantes e puérperas:

  • Ter mais de 18 anos
  • Puérperas: até 45 dias após o parto. É necessário apresentar declaração do nascimento da criança.
  • Grávidas: comprovar estado gestacional (carteira de acompanhamento e/ou pré-natal ou laudo médico).

Pessoas com comorbidades

  • Apresentar comprovante da condição de risco por meio de exames, receitas, relatório médico ou prescrição médica.
  • Cadastros já existentes nas UBSs poderão ser utilizados

Pessoas com deficiência permanente

  • Apresentar comprovante do recebimento do BPC (Benefício de Prestação Continuada), da Assistência Social


Onde se vacinar na capital paulista

  • UBSs (Unidades Básicas de Saúde)
    Horário: das 7h às 19h
    Clique aqui para acessar os endereços
  • Centros-escolas
    Horário: das 8h às 17h
    1. Centro-Escola Barra Funda - Av. Dr. Abrahão Ribeiro, 283, Bom Retiro
    2. Centro-Escola Geraldo de Paula Souza - Av. Dr. Arnaldo, 925, Sumaré
    3. Centro-Escola Samuel Barnsley Pessoa – Av. Vital Brasil, 1.490, Butantã
  • SAEs (Serviços de Atenção Especializada)
    Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h
    Clique aqui para ver os endereços
  • Postos volantes (como farmácias, igrejas, supermercados e drive thrus em UBSs)
    Horário: das 8h às 17h
    Clique aqui para acessar os endereços
  • Postos drive thru
    Horário: das 8h às 17h

    Arena Corinthians
    Av. Miguel Ignácio, 2.492 Curi, portão E4, zona leste

    Igreja Boas Novas
    R. Marechal Mallet, 535, Vila Prudente, zona leste

    Autódromo de Interlagos
    R. Jacinto Júlio, altura do nº 589, portão 9, entrada KRF, zona sul

    Clube Hebraica
    R. Ibiapinopolis, 781, Pinheiros, zona norte. Na parte superior do clube

    Memorial da América Latina
    R. Tagipuru, 500 (referência portão 2), Barra Funda, zona oeste

    Estádio do Morumbi
    Av. Giovanni Gronchi, 1.920, portão 15, Morumbi, zona oeste

    Complexo Esportivo do Ibirapuera
    R. Marechal Estenio Albuquerque Lima, 413, Ibirapuera, zona sul

    Parque Villa-Lobos
    Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 1.025, portão 3, Alto de Pinheiros, zona oeste

    Clube Atlético Monte Líbano
    R. do Gama, 261, Jardim Luzitania, zona oeste

    Shopping Aricanduva
    Av. Aricanduva, 5.555, zona leste, Estacionamento Auto Shopping. Acesso pelo portão P4

    Centro de Exposições do Anhembi
    R. Olavo Fontoura, portão 38, zona oeste

    Club Athletico Paulistano
    R. Honduras, 1.400, Jardim América, zona oeste

    Shopping Anália Franco
    Av. Regente Feijó, 1.739, Tatuapé, zona leste

    Hospital Dom Alvarenga
    Av. Nazaré, 1.361, Ipiranga, zona sul

    Shopping Interlagos
    Av. Interlagos, 2.255, Interlagos, zona sul. Estacionamento subsolo, portão 5

    Subprefeitura de M'Boi Mirim
    Av. Guarapiranga, 1.695, Parque Alves de Lima, zona sul

    Subprefeitura de Itaim Paulista
    Av. Marechal Tito, 3.012, Itaim Paulista, zona leste

    Mais Shopping
    R. Padre José Maria, S/N, Santo Amaro, zona sul. Estacionamento G2 Mais Shopping

    Subprefeitura da Penha
    Rua Mandu, 451, Penha, zona leste

    Shopping Campo Limpo
    Estrada do Campo Limpo, 459, zona sul

Atenção: A Secretaria Municipal da Saúde costuma desativar os postos de drive-thru quando a maioria do público-alvo convocado para aquele período é vacinada na cidade de São Paulo. Por isso, consulte se eles estão ativos antes de sair de casa. Caso contrário, compareça à UBS (Unidade Básica de Saúde) maios próxima. Ou a um posto volante —são vários na capital paulista. Clique aqui e veja lista de endereços

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.