Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: O perdido futebol são-paulino não imita o melhor do cinema

O Tricolor precisa de um técnico bom, que faça o feijão com arroz

São Paulo

Meu tigre guerreiro, mostra ao mundo teu império, a sua coroa...... Alô, povão, agora é fé! O cineasta Kleber Mendonça Filho, diretor dos obrigatórios "O Som ao Redor", "Aquarius" e "Bacurau", tem, entre suas qualidades, a ótima capacidade de escalar elencos. "Aquarius" não seria tão excepcional se a personagem Clara não fosse vivida por Sônia Braga.

O argentino Hernán Crespo é o principal candidato a técnico do São Paulo neste início de ano
O argentino Hernán Crespo é o principal candidato a técnico do São Paulo neste início de ano - Nicolas Aguilera - 23.jan.21/Pool/AFP

Sônia Braga é mulher, atriz, brasileira. Como também é a desprezível apavoradinha do Brasil, a rainha da sucata e do gado, figura patética que não merece ter o seu nome citado.

Alguém imagina Kleber Mendonça Filho escalando atores usando como critério apenas nacionalidade? "Quero uma atriz brasileira, não importa quem nem as suas posições, as suas qualidades nem a sua imagem. Tem de ser brasileira!" Seria, óbvio, um diretor fracassado!

Hernán Crespo, Sebastian Beccacece, Guillermo Barros Schelotto, Miguel Ángel Ramírez, Marco Silva, Bruno Lage, Vitor Pereira e André Villas Boas têm duas características em comum: os oito são homens e treinadores. Claro que não é só isso: os três primeiros são argentinos e os quatro últimos são portugueses. Muito provavelmente, boa parte deles deve beber água, gostar de Beatles e Rolling Stones...

Futebol? Nenhuma semelhança no trabalho deles. Maradona e Defederico são ex-jogadores argentinos. Crespo e Schelotto, também! Para ficar no São Paulo, Careca e Eliel são ex-centroavantes. Semelhança?

Argentino, português, espanhol ou brasileiro, depois da absurda perda de tempo com a saidinha Diniz, o São Paulo precisa de um técnico bom! Que faça o feijão com arroz e não queira aparecer mais que o clube!

E, principalmente, que ganhe jogos! Ganhe qualquer título! "Ganhar" a posse de bola e o segundo tempo, para desespero dos dinizistas, não vale troféu.

Guimarães Rosa: "Digo: o real não está na saída nem na chegada: ele se dispõe para a gente é no meio da travessia".

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca! No agora.com.br! E no youtube.com/blogdovitao!

Al Ahly
Com a previsível derrota de 2 a 0 para o Bayern de Munique (placar modesta e precisamente "antecipado" em Caneladas do Vitão), gols de Lewandowski, o todo-poderoso Al Ahly, adversário derrotado pelo Corinthians na semifinal do Mundial-2012, será o adversário palmeirense na supimpa disputa de 3º lugar. Haja emoção!

'Mundialzinho'
Da série "eu sei o que vocês falaram, escreveram e postaram no verão passado", nada como um ano após o outro para brindarmos a memória e a coerência da mídia passa-panista que canta e vibra: agora "Paulistinha" é "Paulistão" e Mundial de Clubes da Fifa é "Mundialzinho". Peroba neles! Ainda bem que temos memória!

Vitor Guedes
Vitor Guedes

44 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.