Funcionalismo: Professores podem fazer greve contra reforma

Paralisação está prevista para o dia 15 de maio

Cristiane Gercina
São Paulo

Os professores do país prometem uma greve nacional contra a reforma da Previdência do governo Bolsonaro, caso a medida seja aprovada na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara. A votação da PEC (proposta de emenda à Constituição) está prevista para o próximo dia 17 de abril.

Segundo informou o presidente da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, Heleno Araújo Filho, durante audiência na Comissão de Educação, os docentes podem parar em 15 de maio.

Pela PEC, os professores da educação básica só poderão se aposentar aos 60 anos de idade e 30 anos de contribuição. Além disso, serão exigidos dez anos de efetivo exercício e cinco anos no cargo em que se dará a aposentadoria. Hoje, professor da rede público tem idade mínima, mas menor.

Hoje, a idade mínima é de 50 anos, para as mulheres, e 55 anos, para os homens. Além disso, eles precisam contribuir com 25 e 30 anos, respectivamente. Ainda é necessário comprovar dez anos no serviço público e cinco anos no cargo.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.