Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Leitora reclama de baratas em ônibus municipal

Estudante cobra da Prefeitura de SP a dedetização do transporte público; veja outras queixas

Laíssa Barros Havolene Valinhos
São Paulo

A estudante Ana Carolina Sérgio Merência, 22 anos, do Jardim Japão (zona norte), afirma que, por diversas vezes, encontrou baratas nos ônibus da linha 172R/10 Jaçanã-Belém. 

“É um descaso com os usuários do transporte público. Pagamos tão caro por um péssimo serviço. Acredito que a passagem, no valor de R$ 4,30, deveria ser a justificava para que as autoridades não permitissem que esse tipo de situação acontecesse nos ônibus municipais”, afirma. 

Ana Carolina conta que ligou diversas vezes no 156 da Prefeitura de São Paulo e denunciou a situação, mas nunca obteve uma resposta. “Fiquei somente com os números dos protocolos”, conta a estudante. 

“Já tive a infelicidade de um desses insetos subir em minhas pernas. Foi horrível. Quero que limpem e dedetizem os veículos o mais rápido possível. É um desaforo ter que passar por isso todos os dias. Eles têm que utilizar o dinheiro das passagens nos dando o serviço que merecemos”, diz

Ana Carolina Sérgio Merência acredita que a situação é um verdadeiro descaso com os usuários do transporte público - Rubens Cavallari/Folhapress

SPTrans faz vistoria em veículos 

A SPTrans informa que vistoriou os veículos da linha 172R/10 Jaçanã – Belém, em especial os coletivos citados, mas não identificou a presença de insetos ou falta de higiene. A empresa diz que determinou que passem novamente pelo procedimento de controle de pragas e que a higienização seja intensificada.

Outras reclamações

99 

Vinicius Guidi, 59 anos, da Vila Nova Conceição (zona sul), afirma que fez uma viagem pela 99 e pagou em dinheiro direto ao motorista. No entanto, ele reclama que não para de ser cobrado pela empresa. “Já mandei três mensagens explicando que realizei o pagamento no ato.” 

Resposta 

A 99 esclarece, em nota, a importância de seguir o método de pagamento escolhido no aplicativo no momento em que o passageiro solicitou o carro. Em casos de pagamentos em duplicidade, a empresa pode ajudar o usuário a conectar-se com o motorista, caso seja autorizada.


Vivo 

O contador Humberto Aparecido Guizi, 64 anos, de Taboão da Serra (Grande SP), diz que a Vivo está lhe cobrando uma conta referente a dezembro de 2017 de uma linha que já foi cancelada. “São várias ligações de cobrança todos os dias. Não devo nada. Pedi para que me enviassem a conta, mas não enviam porque ela não existe. O que devo fazer?” 


Resposta 

A Vivo informa que entrou em contato com o leitor para prestar  esclarecimentos. A operadora diz ainda estar à disposição por meio da central telefônica 10315 (fixa) e *8486 (móvel), das lojas físicas e do SMS.

Iamspe  

A aposentada Rita de Cássia Cardoso, 62 anos, do Jaçanã (zona norte), conta que passou em consulta no Iamspe e foi agendada uma infiltração na coluna para hoje. Porém, a leitora afirma que foi informada de que não há atendimento desse procedimento às quintas-feiras. “Ninguém sabe confirmar a informação.” 


Resposta 

O Iamspe informa, por meio de sua assessoria, que o serviço de ortopedia entrou em contato com a leitora reconfirmando o procedimento agendado para esta quinta-feira, dia 15 de agosto.

Subprefeitura

"A rua Emilio Ayres, onde moro, na Cohab José Bonifácio (zona leste), está repleta de buracos. Já reclamei na Prefeitura de São Paulo, porém fizeram um serviço mal feito. Preciso da ajuda do Agora", diz Celia da Costa Ventura, 72 anos


Resposta 

A Subprefeitura Itaquera informa, por meio de nota de sua assessoria de imprensa, que vistoriou a rua Emilio Ayres no final de semana e, na oportunidade, realizou o serviço de tapa-buracos solicitado pela leitora. (HV)

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.