Governo cria nova bandeira de R$ 14,20 na conta de luz

Brasileiro vai pagar 49,6% a mais, a partir de 1º de setembro, a cada 100 kWh de energia consumidos

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Flavia Kurotori
São Paulo

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou, nesta terça-feira (31), a criação da bandeira tarifária de escassez hídrica com valor adicional de R$ 14,20 a cada 100 kWh (quilowatts-hora). O aumento, em comparação aos R$ 9,49 cobrados pela bandeira vermelha patamar 2, é de 49,6%.

A nova tarifa vale a partir desta quarta-feira (1º) até pelo menos o dia 30 de abril de 2022. O Ministério de Minas e Energia estima que a alteração deve provocar aumento de 6,78% na tarifa média dos consumidores, o que inclui os clientes residenciais.

Ministério de Minas e Energia estima aumento de 6,78% na tarifa média dos consumidores regulados
Ministério de Minas e Energia estima aumento de 6,78% na tarifa média dos consumidores regulados - Gabriel Cabral/Folhapress

Diante do cenário de escassez hídrica e para evitar um racionamento de energia, o Ministério de Minas e Energia lançou o Programa de Incentivo à Redução voluntária. A partir de setembro, o consumidor terá bônus de R$ 50 a cada 100 kWh reduzidos.

A redução mínima é de 10% e o pagamento do bônus é limitado à redução de 20%. A expectativa é que 20% dos consumidores participem do programa, reduzindo 914 mW (megawatts) por mês —energia suficiente para atender quatro milhões de domicílios típicos, ou seja, com consumo médio de 168 kWh.

Na sexta-feira (27), o órgão já havia afirmado que bandeira vermelha patamar 2 seria mantida na conta de luz no mês de setembro. No entanto, não havia anunciado ainda o reajuste da bandeira, já previsto em virtude da crise hídrica.

O encarecimento acontece por causa da seca histórica que atinge o país. Com isso, é necessário acionar as usinas térmicas para garantir o abastecimento. No entanto, esta modalidade de geração de energia é mais cara e o valor a mais é cobrado do consumidor.

Para os moradores da região metropolitana de São Paulo, a conta de luz está ainda mais cara, uma vez que a Enel, concessionária responsável pela distribuição de energia, aplicou reajuste de 11,58% nas tarifas do mês de julho.

Consumidores da região metropolitana de São Paulo tiveram reajuste de 11,58% na tarifa
Consumidores da região metropolitana de São Paulo tiveram reajuste de 11,58% na tarifa - Gabriel Cabral/Folhapress

Tarifa cada vez mais alta | Entenda as bandeiras

Desde 2015, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) adota o sistema de bandeiras tarifárias, que indicam se haverá acréscimo no valor da energia ao consumidor final

A cor da bandeira varia de acordo com as condições de geração de energia elétrica

Bandeira verde

Não há acréscimo na tarifa, pois as condições de geração de energia estão favoráveis

Bandeira amarela

Indica que as condições para geração de energia elétrica estão menos favoráveis, acendendo o alerta

O acréscimo é de R$ 1,87 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos

Bandeira vermelha patamar 1

Acionada quando a geração de energia elétrica está mais alta, adicionando R$ 3,97 a cada 100 kWh consumidos

Bandeira vermelha patamar 2

Indica que as condições para geração de energia elétrica estão ainda mais custosas, o que gera um aumento de R$ 9,49 a cada 100 kWh

Bandeira escassez hídrica (NOVA)

Criada nesta terça-feira (31) pela Aneel e pelo Ministério de Minas e Energia, tem custo adicional de R$ 14,20 a cada 100 kWh consumidos

Foi lançada e adotada em razão da crise hídrica, a maior dos últimos 91 anos, uma vez que as usinas hidrelétricas perderam espaço na geração de energia elétrica em razão dos reservatórios baixos

Programa para economia de energia

Diante do cenário de escassez hídrica e para evitar um racionamento de energia, o Ministério de Minas e Energia lançou o Programa de Incentivo à Redução voluntária

A partir de setembro, o consumidor terá bônus de R$ 50 a cada 100 kWh reduzidos

A economia é restrita a uma faixa que varia de 10% a 20%

Já há plano similar de incentivo aos grandes consumidores de energia, como as indústrias

VEJA COMO ECONOMIZAR ENERGIA EM CASA

Geladeira e freezer

  • Evite a proximidade com o fogão ou áreas expostas ao sol
  • Se o eletrodoméstico ficar entre armários e paredes, deixe um espaço de pelo menos 15 centímetros dos lados e no fundo do aparelho
  • Evite abrir a porta da geladeira por tempo prolongado --a dica é espaçar os alimentos para que fique mais fácil de encontrá-los e anotar em um papel o que tem na geladeira e no freezer para consultar antes de abrí-los
  • ​Não guarde alimentos e líquidos quentes
  • Não forre as prateleiras com vidros ou plásticos, pois isso dificulta a circulação interna do ar
  • Limpe as serpentinas (grades) do eletrodoméstico periodicamente

Aquecedor

  • ​Prefira modelos que disponham de tanque com melhor isolamento e controle de temperatura
  • Regule o aparelho regularmente

Iluminação

  • ​Use lâmpadas fluorescentes ou de LED onde a luz fica acesa por mais tempo
  • Evite acender as luzes enquanto tiver luz do sol entrando pelas janelas
  • Apague as luzes ao deixar um ambiente
  • Use cores claras ao pintar o teto e as paredes, pois ajudam a refletir a luz, reduzindo a necessidade de luzes artificiais

Televisão

  • ​Mantenha desligada quando não tiver ninguém assistindo
  • Não durma com o aparelho ligado
  • Use o temporizador para que a TV desligue automaticamente quando necessário

Ar condicionado

  • Escolha um modelo adequado ao tamanho do ambiente que será utilizado
  • Prefira aparelhos com controle automático de temperatura
  • Quando instalar, evite que o aparelho fique exposto ao sol
  • Quando o aparelho estiver funcionando, mantinha portas e janelas fechadas
  • Mantenha os filtros limpos para não prejudicar a circulação do ar​


Máquina de lavar louças ou roupas

  • Ligue somente com toda capacidade preenchida​


Chuveiro

  • Só ligue o chuveiro quando estiver pronto para o banho
  • Feche a torneira enquanto se ensaboa
  • Tente reduzir o tempo dos banhos

Fique atento!
Em caso de férias ou viagens prolongadas, o ideal é esvaziar a geladeira e desligar a chave geral do imóvel. Assim, é possível evitar o gasto de energia com as luzes dos aparelhos em stand by, como televisão, rádio e micro-ondas.

Fontes: Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e Ministério de Minas e Energia

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.