Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Descansadíssimo, Timão tem obrigação de passar pelo Flu

Vitor Guedes
São Paulo

Quem viver verá, que não foi em vão, eu quero é muito amor no coração... Alô, povão, agora é fé! Após ficar devendo no 0 a 0 com o Fluminense, pela Copa Sul-Americana, e no 1 a 1 com o Avaí, pelo interminável Campeonato Brasileiro de pontozzz corridozzz, partidas em que teve péssimos desempenhos e maus resultados, o Corinthians enfrenta o Flu, no Maracanã, pela secundária competição continental com obrigação de avançar às semifinais.

O técnico Fábio Carille apostou suas fichas na Copa Sul-Americana e tem nesta quinta (29), contra o Fluminense, o jogo-chave
O técnico Fábio Carille apostou suas fichas na Copa Sul-Americana e tem nesta quinta (29), contra o Fluminense, o jogo-chave - Daniel Augusto Jr. - 1º.fev.19/Ag. Corinthians/Divulgação

Além da considerável diferença de elenco e de orçamento, o Coringão aumentou a sua responsabilidade em passar de etapa ao escalar a reservada no Nacional e deixar claro que a prioridade é a Sul-Americana.

Os dados foram jogados por Fábio Carille, que apostou todas as fichas na Sul-Americana. A sorte está lançada: se avançar e, depois, passar também pelo Independiente Del Valle e, mais adiante, conquistar o título contra Atlético-MG ou Colón, em jogo único em Assunção, ok, tudo certo, palmas, festa na favela e ninguém vai lamentar a partida armagedônica contra o lanterna Avaí...

Agora, se não passar, o técnico e a diretoria, que aceitou o planejamento, serão culpados. Fábio Carille sabe disso. E a Fiel espera que ele saiba o que está fazendo. O treinador, entusiasta da estratégia de poupar elenco e que sempre reitera a importância do tempo para trabalhar, conhece o clube desde 2008 e enfrenta um Oswaldo de Oliveira que fará a sua estreia no rival.

Se o Fluminense, que luta contra o rebaixamento no Brasileirão, tem o fator torcida, o Timão joga por empate com gols. E, em caso de 0 a 0, tem ainda o gigante fator Cássio, que já foi decisivo na Sul-Americana e no tricampeonato paulista.

Resumindo, a mão que esbofeteia é a mesma que afaga. E todo o pau que Carille recebeu pela escalação e postura contra o Avaí se transformará em elogios rasgados se o Timão passar.

Futebol foi feito para se ganhar! O resto é cascata!

Nelson Rodrigues: “Toda coerência é, no mínimo, suspeita.”

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.