Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Timão e Inter deram aula de como não mexer no placar!

Vitor Guedes
São Paulo

É devagar, é devagar, é devagar, é devagar, devagarinho... Alô, povão, agora é fé! Inter 0 x 0 Timão foi o clássico jogo em que o placar também foi nota!

Aos 36 do segundo tempo, Clayson, o responsável único por momentos de lucidez ofensiva do Corinthians, deu lugar a Ramiro. Um sinal claríssimo de que o treinador Fábio Carille, que não via seu time ser pressionado pelo Internacional, estava muito satisfeito com o 0 a 0 no Beira-Rio. A troca anterior, de Pedrinho por Everaldo, foi a chamada mudança de seis por meia dúzia.

Vagner Love disputa jogada com Víctor Cuesta, do Inter, no empate deste domingo no Beira-Rio
Vagner Love disputa jogada com Víctor Cuesta, do Inter, no empate deste domingo no Beira-Rio - Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians/Divulgação

Resumindo, mesmo conhecendo a derrota santista na véspera, o Corinthians deixou claro que não acredita nem que tem como estratégia buscar o título. Carille não poderia ser mais cristalino na mensagem: pensando em brigar por uma boquinha na próxima Libertadores, empatar com o Colorado, fora, é um bom resultado. E para o Inter, que também não luta pelo título do Brasileirão e tem como óbvia prioridade os mata-matas da Libertadores e da Copa do Brasil, empatar não foi mau negócio.

O Corinthians até poderia ter conquistado a vitória. Júnior Urso, no final da primeira etapa, após grande jogada de Clayson, e Everaldo, nos acréscimos, desperdiçaram as oportunidades, mas seria injusto. Como o Inter também não fez absolutamente nada digno de nota para vencer o 0 a 0, foi o resumo perfeito do decepcionante confronto.

O Internacional ainda pode ganhar a Copa do Brasil ou a Libertadores ou, quiçá, ambos; e o Corinthians tem todas as possibilidades de brigar pelo caneco da secundária Sul-Americana; mas a verdade é que tinham jogadores para muito mais. E fizeram uma partida brigada, disputada e tática --eufemismos supimpas para pasmaceira mequetrefe muito fraca--, muito diferente do que foi São Paulo 3 x 2 Santos. Em um dia em que perdeu e fez um mau jogo, o Santos fez dois gols e criou muito mais do que Timão e Inter...

Sampaoli é mais elogiado pelo que os outros não fazem do que, propriamente, pela produção santista...

Charles Bukowski: "Nunca espere demais da sorte ou dos outros; no fim não há quem não decepcione você".

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Destaques da 14ª rodada do Brasileirão

Embolada brasileira

O Palmeiras esteve duas vezes à frente no marcador, com gols de Dudu, mas, prejudicado pela justa expulsão de Felipe Melo, cedeu a igualdade em dois "pênaltis" interpretativos assinalados pelo circo do VAR e desperdiçou a chance de reduzir para um ponto a liderança santista. Agora, a três pontos e duas vitórias do Peixe, o Verdão não tem como assumir a ponta nem em uma próxima rodada perfeita. Flamengo, Atlético-MG e, óbvio, o São Paulo aproveitaram e estão agora, respectivamente, a 8, 5 e 5 pontos da ponta. Como Corinthians e Inter não têm interesse na briga pelo caneco, foquemos nos cinco primeiros.

Arte Agora
Arte Agora

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.