Descrição de chapéu Opinião

Claudinei Queiroz: Justiça foi feita ao Galinho de Ouro

Claudinei Queiroz
São Paulo

Na última terça-feira (22), o CMB (Conselho Mundial de Boxe), uma das entidades mais respeitadas da nobre arte, fez justiça ao conceder um cinturão especial de campeão mundial dos pesos-galos ao brasileiro Éder Jofre, um dos melhores pugilistas da história.

Aos 83 anos, o Galinho de Ouro recebeu a homenagem pessoalmente em cerimônia realizada em Cancún (MEX). O CMB reconheceu que a vitória sobre o mexicano Joe Medel, em 12 de setembro de 1962, no ginásio do Ibirapuera, merece ser considerada um título mundial. Até então, apenas a extinta AMB (Associação Mundial de Boxe) tratava o feito como tal.

Éder Jofre posa com o cinturão na comemoração dos 50 anos do título mundial na categoria peso-galo, em 2010; este ano, ele foi reconhecido como tricampeão mundial
Éder Jofre posa com o cinturão na comemoração dos 50 anos do título mundial na categoria peso-galo, em 2010; este ano, ele foi reconhecido como tricampeão mundial - Eduardo Knapp - 17.nov.10/Folhapress

Desta forma, Éder agora é considerado tricampeão mundial de boxe, o que só faz sua história ficar ainda mais grandiosa. Ele fez 81 lutas na carreira, com 75 vitórias (50 por nocaute), 4 empates e apenas 2 derrotas —ambas para o japonês Masahiko Fighting Harada, em 1965 e 1966, em decisões controversas por pontos realizadas no Japão.

O pugilista foi campeão mundial dos galos pela primeira vez em 1960, pela Associação Nacional de Boxe (NBA), ao nocautear o mexicano Eloy Sanchez no sexto assalto em Los Angeles (EUA). Dois anos depois, unificou os títulos do peso-galo ao bater o campeão europeu, o irlandês Johnny Caldwell, por nocaute técnico no 10º assalto, também no ginásio do Ibirapuera.

Após encerrar sua carreira em 1966, desgostoso pela forma como perdeu o cinturão para Harada, ele voltou aos ringues em 1970, aos 34 anos, na categoria acima: o peso-pena. Em 1973, aos 37 anos, tornou-se campeão mundial dos penas pelo CMB ao derrotar o cubano naturalizado espanhol José Legrá por pontos após 15 assaltos, em Brasília.

Por essa história, Éder é o único boxeador brasileiro no Hall da Fama do esporte, nos EUA, desde 1992. Além disso, em 1983, foi eleito o melhor peso-galo de todos os tempos pelo CMB e, em 2002, ficou em nono na lista dos melhores pugilistas dos últimos 50 anos da revista The Ring, a bíblia da modalidade. O Galinho merece!

Claudinei Queiroz
Claudinei Queiroz

é coordenador- assistente do Vencer

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.