Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Renegados de Carille comandam sofrida vitória sobre o Fortaleza

São Paulo

Vou acender velas para são Jorge, a ele eu quero agradecer... Alô, povão, agora é fé! Com muito mais vontade e sorte do que futebol organizado e bem jogado, o Corinthians chutou a série de oito jogos sem vitória, sapecou, de virada, 3 a 2 no Fortaleza e voltou provisoriamente à zona de classificação à (pré-pré)Libetadores. A última vez que o Coringão tinha feito três gols havia sido contra o próprio Fortaleza, também de virada, na capital cearense.

Júnior Urso comemora com a torcida o seu gol na vitória por 3 a 2 sobre o Fortaleza, pelo Campeonato Brasileiro
Júnior Urso comemora com a torcida o seu gol na vitória por 3 a 2 sobre o Fortaleza, pelo Campeonato Brasileiro - Rodrigo Coca/Ag. Corinthians/Divulgação

Boselli, que fez o primeiro e terceiro gols, Pedrinho, que era desperdiçado na ponta direita e jogou centralizado, e Janderson, que teimosamente não era escalado, foram fundamentais para o sofrido triunfo.

Se teve muitas mudanças pedidas, o interino Coelho manteve Manoel, uma das críticas da Fiel em relação ao trabalho anterior. E a equipe mostrou muitos dos mesmos problemas defensivos dos últimos jogos.

No primeiro tempo, à vera, teve duas chances, uma para cada lado, ambas convertidas: Romarinho abriu o placar para o Fortaleza após saída errada de Manoel, o Corinthians igualou com Boselli aproveitando o "chutamento" de Pedrinho.

Mal começou o segundo tempo, na ordem invertida, gol lá (Júnior Urso escorando centro de Janderson), gol cá (Kieza), 2 a 2 no placar após o lixo do VAR demorar 18 séculos para confirmar o gol que já havia sido validado, na hora, pelo bandeirinha.

Quando o mistão do Fortaleza (Ceni poupou meio time para o clássico contra o Ceará) era melhor e mais perigoso, Clayson (que eu, tu, ele, vós, eles e nós jamais criticamos) fez uma jogadaça em sua primeira participação, e Boselli, à centroavante, testou à rede! E não foi mais porque, no final, Pedrinho perdeu um gol inacreditável.

Não foi ainda desta vez, na sexta tentativa e quarta derrota, que o treinador Rogério Ceni ganhou a primeira do time do povo...

Saravá, são Jorge!

Franz Kafka: "O importante é transformar a paixão em caráter".

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Vitor Guedes
Vitor Guedes

42 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.