Descrição de chapéu Opinião

Na Sobra: Há mais gente culpada

Mais uma vez só treinadores são responsabilizados pelos maus resultados

Luís André Rosa
São Paulo

Não foi um bom final de semana para dois técnicos de times badalados que foram goleados. Aqui no Brasil, a derrota por 4 a 1 para o Flamengo encerrou o ciclo de Fábio Carille à frente do Corinthians. Outro que começou novembro e já está desempregado é o croata Niko Kovac, que foi demitido pela direção do Bayern de Munique, após levar 5 a 1 do Eintracht Frankfurt.

Em comum entre os ex-comandantes dos dois clubes que são potências em seus países estão o fanatismo de duas torcidas, a exigência dos dirigentes e, principalmente, os resultados ou a falta deles. Vou ficar apenas no caso de Niko Kovac, que sai de cena com um trabalho considerado bom, mas nem tanto. Pela superioridade financeira e técnica, o Bayern tinha mais do que a obrigação de conquistar, na temporada 2018/2019, a Copa e a Supercopa da Alemanha, além do Campeonato Alemão.

Após a pior derrota do Bayern de Munique nos últimos dez anos, o técnico croata Niko Kovac foi demitido; ele deixa o clube sendo campeão do último Campeonato Alemão e a Copa da Alemanha - Ina Fassbender - 28.set.19/AFP

Nesta sua segunda temporada, o ex-treinador da seleção croata, assim como Carille, “perdeu o vestiário”. Líder do elenco, o alemão Thomas Muller não escondeu a insatisfação com a forma como o Bayern deixou de ser uma equipe equilibrada para se tornar um time que vem se sobressaindo por causa de talentos individuais, caso do polonês Robert Lewandowski, artilheiro da Bundesliga, e o jovem alemão Serge Gnabry, autor de quatro gols na vitória por 7 a 2 sobre o Tottenham, em Londres, pela Liga dos Campeões.

Essa falta de organização tática significou problemas seríssimos na defesa. Dessa maneira, não foi uma surpresa a goleada por 5 a 1, algo que não acontecia desde abril de 2009, quando o Wolfsburg, do ex-atacante Grafite, aplicou o mesmo placar. Além disso, dos dez primeiros colocados, o clube bávaro é o único que sofreu 16 gols em dez jogos, a pior marca desde a edição do Alemão de 2008/09. 

Tanto os cartolas do Bayern quanto os do Corinthians optaram pela via mais fácil, mas o momento conturbado por que passam as duas equipes também é culpa de quem entra em campo e de quem contrata.

Luís André Rosa

47 anos, jornalista, escreve sobre esportes desde 1996. É torcedor fanático do Barcelona e não abre mão do futebol ofensivo. E-mail: luis.rosa@grupofolha.com.br

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.