Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Estudantes comem a bola e arrecadam alimentos!

São Paulo

Não sei se eu estou pirando, ou se as coisas estão melhorando. Não sei se eu vou ter algum dinheiro, ou se eu só vou cantar no chuveiro... Alô, povão, agora é fé! Não é de hoje que meninos do (autointitulado) país do futebol sonham em virar jogadores e imitam os ídolos para o bem e para o mal.

Amigos do Ongarelli (preto) 5 x 4 Amigos do Mayke (vermelho) e mais de 300 quilos de alimentos arrecadados
Amigos do Ongarelli (preto) 5 x 4 Amigos do Mayke (vermelho) e mais de 300 quilos de alimentos arrecadados - @rockgil17 no Instagram

Mas, como é Natal, deixemos de lado o que não presta e fiquemos só nos bons exemplos. No último domingo (22), garotos de 11 a 15 anos do Estudante Paulista promoveram, em seu campo (do lado Belenzinho da ponte da Vila Maria, na divisa da ZL com ZN), o duelo Amigos de Ongarelli x Amigos de Mayke, ambos craques do sub-13. 

Os atletas mirins, amigos, pais, parentes e agregados que atuaram ou assistiram à partida colaboraram com a doação de alimentos, que já foram distribuídos para pessoas carentes e em condições de rua da região. E boa parte das famílias que participam da equipe estão longe de ostentar uma vida fácil e luxuosa!

Sem juízo de valor, os cortes de cabelo, as cores e modelos de chuteira, as comemorações dos gols e os trejeitos dos profissionais são copiados pela molecada faz tempo. Quem não se lembra da legião de "cascões" inspirados em Ronaldo na Copa 2002?

É muito legal ver meninos copiando também os jogos festivos do final de ano, com a ideia de confraternizar entre amigos e fazer o bem a quem precisa ou precisa ainda mais. E tudo isso sem mídia, sem patrocínio, ou seja, apenas pela vontade de participar, de confraternizar e ajudar!

Parabéns, Ongarelli! Parabéns, Mayke (e chupa também, já que perdeu de 5 a 4)!
Como é óbvio que a maioria absoluta não vira jogador profissional, que comecemos, na base, a formar cidadãos melhores e com maior consciência social. Não é de hoje que estamos sendo goleados nesse quesito.

Feliz Natal!

Eduardo Galeano: "Somos o que fazemos, mas somos, principalmente, o que fazemos para mudar o que somos".

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Vitor Guedes
Vitor Guedes

42 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.