Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Neymar e Mbappé comandam e protagonizam história

Confesso que torci e adorei o 5 a 1 categórico!

São Paulo

Um sorriso negro, um abraço negro, traz felicidade... Alô, povão, agora é fé! Em jornada épica, Neymar e Mbappé protagonizaram a história! Os atletas trouxeram para o gramado o brilho das decisões tomadas pelos cidadãos e comandaram o 5 a 1 do PSG sobre o Basaksehir.

Futebol? Neymar, o melhor em campo, fez 3 (o primeiro uma pintura) e o francês, os outros dois, um deles de pênalti. O velho Neymar, aquele com quem nunca simpatizei, provavelmente teria exigido bater a penalidade... Ou melhor. Não teria essa chance porque teria continuado o jogo na terça-feira normalmente, ignorando as ofensas raciais do quarto árbitro ao adversário Pierre Webó, e não se envolvendo com a treta em que Demba Ba foi herói.

Neymar (à esq.) e os demais jogadores de PSG e Istanbul, além dos árbitros, ajoelham-se no gramado do Parque dos Príncipes para protestar contra os casos de racismo
Neymar (à esq.) e os demais jogadores de PSG e Istanbul, além dos árbitros, ajoelham-se no gramado do Parque dos Príncipes para protestar contra os casos de racismo - Franck Fife/AFP

Confesso que torci e adorei o 5 a 1 categórico! Mesmo não nutrindo qualquer simpatia pessoal nem pelo PSG muito menos por Neymar (até o histórico 8 de dezembro), torci muito por ele, por Mbappé, por Marquinhos, por todos.

Ainda que o futebol seja muito menos importante do que o milenar problema mundial de preconceito racial, tenho certeza que racistas canalhas da escola Jorge Jesus, do tipo que acham que "agora tudo é racismo porque está na moda" e blá-blá-blá, estavam na espreita, esperando uma má atuação ou um tropeço dos craques da equipe francesa para vomitarem que jogador de futebol é muito bem pago para jogar futebol e não ficar de lacração ou imbecilidade similar.

O engajamento necessário de Lewis Hamilton e LeBron James, que trazem consigo visibilidade mundial à luta antirracista, só são "engolidas" (o que é diferente de serem aceitas pelo sistema) porque ambos são lendas, sobram, respectivamente, na Fórmula 1 e na NBA e foram campeões atropelando!

Lembram da Democracia Corinthiana? Em 1982 e 1983, só calou os canalhas fãs de ditadura com o bicampeonato paulista. Neymar e Mbappé, também em campo, humilharam os idiotas. Basta!

*

Nelson Mandela: "Sempre parece impossível até que seja feito".

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca! E no agora.com.br!

*

VAR
Sem Soteldo, desfalque de última hora por Covid, o Santos lutou, abriu 1 a 0 com Kaio Jorge (após saída horrorosa de Vanderlei) na Arena do Grêmio e, já no final, perdeu Diego Pituca expulso e, com um a menos, no último lance do jogo, levou o 1 a 1 em "pênalti" absurdo de VARtebol convertido por Diego Souza. Um escândalo!

Pedalada moral
Da série "o futebol imita a vida", hoje é dia de os canalhas travestidos de "cidadãos de bem" --que têm milicianos, mandantes de assassinato e racistas de estimação-- vestirem, com muito orgulho e muito amor, a camisa de "torcedores de bem" e defenderem condenado em 1ª instância por estupro! Não falha nunca, talkey!

Vitor Guedes
Vitor Guedes

43 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.