Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Cliente tenta encerrar conta; veja outras reclamações

Caixa Econômica afirma que processo é demorado, diz leitora

Patrícia Pasquini
São Paulo

A aposentada Antônia Marcela de Souza, 57 anos, do Jardim Vista Alegre (zona norte), conta que tenta fechar a conta-corrente do marido que já morreu e não consegue.

"Quitei uma dívida de empréstimo e, nem assim, a Caixa Econômica Federal encerra a conta", diz. 

O banco alega que é um processo demorado.

A assessoria de imprensa da Caixa Econômica Federal informa que entrou em contato com a cliente para a solução do caso.

Ao Agora a leitora disse que o banco deu prazo de uma semana para encerrar a conta-corrente.

Após morte de marido leitora tenta encerrar conta-corrente na Caixa
Após morte de marido leitora tenta encerrar conta-corrente na Caixa - 10.04.2017 - Robson Ventura/Folhapress

 

Veja outras Reclamações

 

Asfalto afunda na Aricanduva, diz leitor

O aeroportuário Washington Luiz dos Santos, 55 anos, da Vila Califórnia (zona leste), conta que está preocupado com as rachaduras que apareceram em sua casa e na de dois vizinhos.

Segundo ele, o motivo é o afundamento da pista sentido bairro da avenida Aricanduva, na altura do 1.406, na mesma região. 

O leitor afirma que, até o ano passado, era apenas um desnível, mas ele não se preocupou porque estava nos planos da Prefeitura de São Paulo o recapeamento da via.

“Na época, questionei a equipe que executava o serviço na pista expressa e fui informado que, depois, seria feito no local, o que não ocorreu”, relata ao Agora.

No dia 21 de fevereiro deste ano, Santos formalizou uma reclamação na prefeitura. Em seguida, outras seis foram registradas pelos vizinhos. “Nunca vieram verificar. Pedem para aguardar.”

Além dos sustos provocados pela passagem de caminhões e ônibus que trafegam pelo local, inclusive à noite, há o receio de acidentes.

“Como os veículos trafegam em alta velocidade durante a madrugada, podem perder o controle e atingir as casas, fora que a pista continua afundando”, contou à reportagem.

Prefeitura: 156

Visita é agendada

Por meio de nota, a Subprefeitura Aricanduva informa que enviará uma equipe hoje para vistoriar o local. 
Em novo contato, o leitor agradeceu a intervenção do Agora e solicitou que o jornal continue acompanhando o seu caso.

 

Americanas.com

O assistente administrativo Paulo Fonseca, 59 anos, da República (região central), conta que,  em 16 de abril, comprou um livro para a filha pelo site das Americanas.com e a previsão de entrega era até 2 de maio. “Disseram que a venda foi cancelada pela falta do livro e que eu teria um vale-compras para gastar. “O livro continua à venda no site, agora por um preço maior”, relata.

Resposta                                                                                                                                                                             As Americanas.com informam que entraram em contato com o leitor. “Fizeram um novo pedido no dia 14 e prometeram entregar o livro em até dez dias úteis”, afirmou.

Extra.com

A assistente de transporte Suzana Cunha, 55 anos, da Vila Mariana (zona sul), diz que, no dia 26 de março, comprou um jogo de quatro pneus no Extra.com e optou por retirar pessoalmente os produtos em uma loja física. Segundo a leitora, para a retirada foram disponibilizados apenas três pneus. “A gerência me aconselhou a reclamar, mas não resolveu”, queixa-se a leitora.

Resposta

O Extra.com informa, por meio de nota, que a cliente foi atendida com vale-compra para que pudesse readquirir o item em falta. Ao Agora a consumidora confirmou a informação.

Itaú

O metalúrgico João José Domingues de Souza, 49 anos, da Vila Alpina (zona leste), tem quatro cartões com a bandeira Itaú e paga as faturas por boleto há quase 20 anos. ”Sem minha autorização, estão me mandando o boleto por email, coisa que não aprovo e nem aceito.” 

Resposta

A assessoria de imprensa do Itaú Unibanco esclarece que as faturas seguirão para o endereço de cadastro do cliente a partir de julho.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.