Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Extra não aprova compra

Cliente reclama do cartão da rede

Havolene Valinhos
São Paulo

A advogada Evelin Gabriela Nardi, 37 anos, da Freguesia do Ó (zona norte), afirma que, no dia 4 de março, fez uma compra de supermerca­do no site do Extra, no valor de R$ 1.573,86, utilizando o cartão de crédito da rede.

A leitora relata que rece­beu uma mensagem em seu celular informando que a compra não tinha sido  apro­vada.

“Se no site todo o pro­cesso foi concluído, por que a compra não foi aprovada? Inclusive, foi enviada nota
fiscal para recebimento da compra”, questiona.

Evelin afirma que utiliza o cartão de crédito do Extra normalmente em outros es­tabelecimentos. “Só não
funciona no site deles.”

Extra.com
Tel.: (11) 4003-3383

Hipermercado Extra
Hipermercado Extra - 06.05.2014 - Rubens Cavallari/Folhapress

 

Hipermercado analisa situação

O Extra.com informa que a manifestação da cliente foi encaminhada aos responsáveis, para que o caso seja apu­rado.

A rede diz ainda que o pedido da cliente foi entre­gue com sucesso. A empresa afirma que, embora haja car­tões emitidos com a bandeira das lojas do Extra, a respon­sabilidade referente a emissões, cobranças e análises de crédito são de uma financeira.

“Só recebi a compra porque passei um cartão de outra bandeira”, disse a leitora ao Agora.

Veja outras reclamações

Mercado Livre

O administrador Pedro Felipe Sanches, 33 anos, do Tatuapé (zona leste), relata ter conta no Mercado Livre, no qual faz compras rotineiramente como pessoa física. “Inclusive, em abril, fiz duas compras. Então, 
fiz a venda de um notebook e, no dia seguinte, minha conta foi bloqueada. Já liguei duas vezes, mas não resolvem. Que­ro o meu dinheiro”, diz.

Resposta

O Mercado Livre esclarece que não houve blo­queio de conta. Por se tratar da primeira venda do cliente
no site, o sistema aplicou um procedimento de segurança, que é um pedido de confir­mação de dados, e que após a atualização de seu cadas­tro, o caso foi solucionado.

CET

O aposentado Valdemar de Pai­va, 85 anos, do Parque Guarani (zona leste), afirma que uma empresa localizada ao lado de sua casa deixa os carros enfi­leirados na rua onde ele mora. 
O leitor relata que já registrou diversas reclamações na Prefei­tura de São Paulo, mas não adiantou. “Absurdo. Não sei mais a quem recorrer. Peço a intervenção do Agora.”


Resposta

A CET (Compa­nhia de Engenharia de Tráfe­go) informa, por meio de no­ta, que em vistoria realizada,
não foi constatado o proble­ma apontado pelo leitor. O órgão diz ainda que, mesmo assim, agentes farão monito­ramento no local para coibir possíveis irregularidades.

Enel

Aparecida Bento diz que, no dia 11 de abril, constatou pro­blemas na instalação elétrica de sua casa e o eletricista disse que era falha externa. “Liguei para a concessionária Enel soli­citando o conserto, pois além de estar no escuro, havia ali­mentos na geladeira. Não re­solveram nada e tive um gran­de prejuízo”, queixa-se a lei­tora ao Agora.

Resposta

A Enel Distribui­ção São Paulo afirma que realizou contato com Apare­cida Bento para entender o
histórico da demanda. A concessionária diz que o caso está em análise e a consumi­dora receberá um novo con­tato após apuração técnica.

Iamspe

O professor Gilberto de Castro Martins, 59 anos, de Santo An­dré (ABC), conta que não con­segue marcar uma ressonância magnética para o seu ombro direito no Iamspe. “Pago há anos o plano de saúde. Porém, 
quando preciso utilizar o con­vênio não consigo ser atendido. Continuo trabalhando doente para não faltar. Preciso de aju­da”, afirma ao Agora.

Resposta

O Iamspe (Insti­tuto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual) es­clarece que a ouvidoria entrou em contato com o pa­ciente Gilberto de Castro Mar­tins para informar o agenda­mento do exame. “Fui aten­dido no último sábado”, dis­se o leitor em novo contato.

Net

A jornalista Deise Dantas, 34 anos, de Santana (zona norte), afirma que sua fatura da Net está em débito automático, mas, neste mês, ela foi paga com atraso. A consumidora diz que informou a falha à operadora, porém o valor ainda está em aberto para eles. “Já man­dei os dados que pediram por email. Até o momento, não ti­ve um retorno concreto.”


Resposta

Por meio de no­ta de sua assessoria de im­prensa, a Net informa que entrou em contato com a cliente e prestou esclareci­mentos sobre as faturas pa­gas. A operadora afirma que permanece à disposição. Ao
Agora a leitora contou que o problema foi resolvido.

Vivo

A aposentada Zenaide Joanna Martucci Trizólio, 79 anos, de Ibitinga (347 km de SP), diz que pediu a alteração do seu plano à Vivo, porque estava pagando muito caro pelo tele­fone, mas teve o serviço de 
identificador de chamadas cor­tado sem ter sido consultada. “Já liguei várias vezes para a operadora e dizem que não podem reativar.”

Resposta

A Vivo informa que, conforme solicitado, o serviço foi incluído nova­mente. A operadora diz ainda que, em contato com a con­sumidora, a deixou ciente das tratativas realizadas. Ao Agora a leitora disse que o serviço foi reinstalado.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.