Contrato de aluguel deve subir nos próximos meses

IGP-M teve alta na prévia do mês; especialista diz que inquilino deve negociar

Laísa Dall’Agnol
São Paulo

Ao que tudo indica, no segundo semestre, o brasileiro terá um item a mais que vai pesar no bolso: o aluguel.

A prévia do IGP-M (Índice Geral de Preços-Mercado), usado para calcular o reajuste da maioria dos contratos em andamento, voltou a subir, divulgou esta semana o Ibre (Instituto Brasileiro de Economia), da Fundação Getulio Vargas.

Depois de leve queda entre abril e maio, o indicador teve alta de 0,75% na segunda preliminar de junho. Foram comparados os preços coletados no período entre 21 de maio e 10 de junho com aqueles entre 21 de abril e 20 de maio.

0
IGP-M teve alta na prévia do mês; especialista diz que inquilino deve negociar - Alberto Rocha/Folhapress

Para calcular os reajustes mensais do aluguel pelo índice, são usados os valores cheios, divulgados sempre no último dia de cada mês. O mais recente, de maio, vale para os contratos em andamento com aniversário em junho e pagamento no final do mês ou início de julho.

Segundo Juliana Inhasz, professora do Insper, a alta da prévia do IGP-M de junho em relação a maio foi puxada pelos aumento dos preços do milho, soja e minério (que impactam um dos três medidores que compõem o índice), além do desemprego e da menor renda da população.

“Muita gente que planejava comprar ou financiar um imóvel está desistindo. O medo de perder o emprego e não conseguir pagar as prestações faz com que o aluguel seja a opção mais viável. Com mais gente alugando, os preços sobem.”

Contudo, o momento está favorável para o inquilino negociar o reajuste do aluguel com o proprietário do imóvel, diz o economista André Braz, do Ibre/FGV.

“Mesmo com essa leve alta, o mercado imobiliário não está muito aquecido. Por isso, agora é uma boa hora para renegociar contratos em andamento com o proprietário”, explica.

Inflação dos aluguéis | Alta na previa do mês

A prévia do IGP-M, usado para calcular o reajuste da maioria dos contratos de aluguel, voltou a subir 

Depois de leve queda entre abril e maio, o indicador teve alta de 0,75% na segunda preliminar de junho 

Qual o impacto no bolso dos inquilinos e proprietários?

A tendência é que a inflação do aluguel continue subindo nos próximos meses, mas de forma moderada  

Dica para o momento

Negocie mesmo com a leve alta no índice, o mercado imobiliário não está aquecido, o que abre espaço para negociações mais flexíveis entre inquilinos e proprietários ao término do contrato

Como calcular o reajuste

Para contrato vencido em junho com pagamento em julho

R$ 2.000 - valor atual do aluguel  - > R$ 2.000

X

1,0764 (IGP-M acumulado nos últimos 12 meses até maio de 2019)

=

R$ 2.152,80 - novo valor do aluguel

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.