Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Estudante diz que FMU perdeu seus documentos

Diego Brandão critica atendimento de funcionários; veja outras queixas

Laíssa Barros Havolene Valinhos
São Paulo

O estudante de processos gerenciais Diego Brandão, 32 anos, de Campinas (96 km da capital), afirma que vem sofrendo com a falta de organização e o descaso de funcionários da FMU. 

“Não querem liberar minhas notas para visualização no site. Estão exigindo que, depois de dois anos de curso a distância, eu apresente documentos que já foram entregues para, enfim, ter acesso às notas. O que fizeram com os documentos que estavam com eles? Por que nos outros semestres consegui o acesso e agora não?”, diz Brandão.

Segundo o leitor, ele já teve outros problemas com a instituição e enfrentou dificuldades com sua plataforma de aprendizagem. 

“Não poderei me formar diante da falta de suporte da FMU. Terei que fazer mais um semestre depois que algumas matérias que fiz sumiram do sistema deles. Os funcionários não me ajudaram e agora enviam essa bomba. Já aceitei o primeiro erro, mas esse não vou tolerar”, afirma o estudante. 

Brandão quer que os funcionários liberem seu acesso e respondam onde estão os documentos entregues anteriormente. “Cansei de não ser atendido.” 

São Paulo, SP, Brasil, 21-02-2019: Computador portátil (laptop) antigo. (foto Gabriel Cabral/Folhapress)

Faculdade aguarda os documentos 

A FMU informa que o aluno forneceu documentos ilegíveis e aguarda a entrega dos legíveis para regularização. “Não é verdade, onde estão os documentos que entreguei na matrícula? Não me responderam”, disse Brandão ao Agora.

Veja outras reclamações: 

Sabesp 

A aposentada Eliana Tamae, 55 anos, da Vila Campo Grande (zona sul), reclama que recebeu uma conta de R$ 1.600. “Isso é um absurdo, disseram que usei 92 m³ de água”, diz a leitora. A aposentada afirma que nenhum técnico da empresa foi verificar o hidrômetro. 

Resposta

A Sabesp informa que enviou uma equipe ao local e verificou que não há vazamentos e que o hidrômetro está dentro dos padrões. A conta foi revisada. A leitora confirmou o procedimento. 

Saúde 

A pensionista Eunice Neves Gondim Sanches, 79 anos, da Vila Sabrina (zona norte), conta que está tentando uma vaga para realizar um exame de colonoscopia em algum hospital, via UBS  (Unidade Básica de Saúde) Vila Sabrina, onde ela faz acompanhamento, mas não consegue. 


Resposta

A Secretaria Municipal de Saúde informa, por meio de sua assessoria, que o preparo para colonoscopia da paciente foi agendado para o dia 15 de julho, no CRI Zona Norte, e a UBS Vila Sabrina entrará em contato com a usuária para orientar sobre a retirada da ficha de agendamento.


Mercado Livre 

O microempresário Marcio Selichevic Vasques, 48 anos, do Belenzinho (zona leste), afirma que sua conta do Mercado Livre está bloqueada desde o dia 23 de abril porque hackers a teriam invadido. “Isso é um absurdo. Eu já levei todos os documentos solicitados para a reativação, mas nada.” 


Resposta 

O Mercado Livre informa que a conta já se encontra ativa. A empresa diz ainda que entrou em contato com o cliente para transmitir essa informação e prestar os esclarecimentos a respeito do ocorrido. Em novo contato com o Agora, o leitor confirmou a informação. 

Claro

"A Claro cortou minha linha de celular pré-pago alegando que não coloquei crédito nos últimos 180 dias. Tenho esse número há 15 anos e sei, com informações da Anatel, que não podem fazer isso. Exijo que reativem minha linha!", diz Fabiana Aparecida de Oliveira, 37 anos


Resposta  

A Claro informa, por meio de nota, que está em contato com a cliente para finalizar o caso e que continua à disposição por meio de seus canais de atendimento. Em novo contato com o Agora, Fabiana confirmou a informação. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.