Funcionalismo: Educação terá reajuste em maio de 2020

Laíssa Barros
São Paulo

 Câmara Municipal de São Paulo aprovou em 26 de junho o projeto de lei 616, do prefeito Bruno Covas (PSDB), que institui reajuste de 3,03%, na forma de abono complementar, sobre os pisos dos profissionais de educação.

Projeto do prefeito Bruno Covas (PSDB), institui reajuste de 3,03%, na forma de abono complementar, sobre os pisos dos profissionais de educação
Projeto do prefeito Bruno Covas (PSDB), institui reajuste de 3,03%, na forma de abono complementar, sobre os pisos dos profissionais de educação - Eduardo Anizelli/Folhapress 4 Abr. 2019

Segundo a Secretaria Municipal de Educação, os abonos complementares seriam reajustados a partir de 1º de janeiro de 2019, com os retroativos pagos após a publicação da lei, o que não aconteceu.

A secretaria informou que os vencimentos dos profissionais serão reajustados em três parcelas: 1º de maio, 1º de setembro e 1º de dezembro de 2020.

Já o Sinpeem (Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo) afirmou à reportagem que está no aguardo da publicação da lei 616 e ainda não tem informações sobre os pagamentos.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.