Aposentado quer receber o pecúlio do INSS

Direito à devolução das contribuições feitas após aposentadoria foi extinto em abril de 1994, mas segurado ainda pode receber

Fernanda Brigatti
São Paulo

O aposentado Luiz Pinto de Toledo, 82 anos, não sabia, na época em que começou a receber o benefício previdenciário, que teria direito ao pecúlio.

Extinto em abril de 1994, o pecúlio devolvia aos aposentados os valores contribuídos ao INSS após o início do benefício. "Na época, depois de ter trabalhado 30 anos em uma empresa, ele se aposentou. Deu baixa na carteira em um dia e voltou a trabalhar no outro. Ficou mais quase 30 anos", explica Rosimeire Pinto Toledo, filha do leitor. 

O aposentado Luiz Pinto de Toledo, 82 anos, fez o pedido do pecúlio ao INSS no ano passado e foi informado de que o benefício foi aprovado, mas a carta de concessão com os dados do pagamento não chegou - Martha Salomão/Folhapress

No ano passado, eles foram a uma agência do INSS, onde receberam, de um servidor, as orientações para apresentar o pedido. "A gente conversou, nos explicaram tudo o que precisava ser feito", diz Rosimeire.

Esse processo, relata a filha do segurado, foi finalizado em dezembro. "Nos disseram que o valor seria pago, mas que deveríamos aguardar uma carta. Essa comunicação diria em qual banco o dinheiro deveria ser sacado. Ele está só aguardando para saber onde ir."

Por telefone, na Central 135, Rosimeire afirma que os atendentes não conseguem dar informações sobre o caso. "No último extrato que pegamos na agência, vinha até o valor, mas a carta não chegou e não soubemos mais nada."

Pedido passa por auditoria
O INSS em São Paulo informou que "o pedido de pecúlio do segurado está sendo tratado com prioridade e, no presente momento, encontra-se em fase de auditagem".

O instituto disse também que Luiz Pinto de Toledo será informado assim que o procedimento terminar.

É possível acompanhar o trâmite do processo no portal Meu INSS, na internet, no endereço gov.br/meu.inss. É necessário cadastrar uma senha.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.