Andamos no Jac T80, aposta de luxo da marca

Fora dos holofotes de quando chegou ao Brasil, Jac se arrisca com o luxuoso T80

Fernando Pedroso
São Paulo

"É um Audi? Carrão, hein!?", disse um funcionário de um estacionamentoao ver a reportagem chegar com o Jac T80, não escondendo o espanto ao descobrir que se tratava do utilitário chinês lançado no começo deste ano.

Jac T80
Grade cromada toma quase toda a frente do Jac T80 e contorno dá ligação aos faróis com luzes diurnas de LED - Divulgação


A memória dele levava ao J3, compacto que fez barulho ao ser lançado em versões hatch e sedã apresentados à exaustão na televisão pelo apresentador Fausto Silva.
Agora fora dos holofotes, a marca se arrisca no mercado de utilitários esportivos e a aposta mais alta é no T80, que custa R$ 144.990.

O visual dá mesmo para confundir com um Audi. As lanternas traseiras horizontais logo acima da área rebaixada da tampa do porta-malas não escondem a inspiração alemã.

Jac T80
A traseira do SUV tem clara inspiração nos utilitários esportivos da Audi; Jac T80 espaço para até sete pessoas - Divulgação


A frente com uma enorme grade tem mais personalidade e traz faróis com luzes diurnas de LED.
Por dentro, o acabamento é mais bonito do que agradável ao toque, mas está correto na faixa de preço.
Assim como o bom motor 2.0 turbo de 210 cv acoplado ao câmbio automatizado de dupla embreagem. com desempenho suficiente para o porte do carro.

Por falar em tamanho, o T80 leva bem cinco pessoas e ainda cabem mais duas crianças nos assentos extras do porta-malas de 477 litros. O espaço pode aumentar ou diminuir conforme o ajuste do banco traseiro.

Jac T80
Interior é bem desenhado, mas não esconde materiais baratos no acabamento - Divulgação


Outro atrativo para fazer quem tem quase R$ 150 mil a investir no T80 é o pacote de equipamentos. Tem ar-condicionado automático de duas zonas de temperatura, multimídia com tela de 10", seis airbags, controles de tração e estabilidade e teto solar panorâmico.

Mas para levar um SUV de luxo a preço de Jeep Compass é preciso abrir mão de algumas coisas. O interior tem algumas falhas, materiais visivelmente baratos. O isolamento acústico deixa o barulho do motor invadir a cabine. E a suspensão, voltada para o conforto, é macia demais para o desempenho do carro, principalmente em curvas.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.