Descrição de chapéu Vigilante Agora

Banheiros do metrô de São Paulo estão danificados e sem material

Falta de assento nos vasos sanitários e de material de higiene são os principais problemas

Leonardo Zvarick
São Paulo

Os banheiros do metrô de São Paulo estão em grande parte depredados e desabastecidos de material de higiene.

Em algumas estações, também falta estrutura para atender deficientes físicos, como obriga a lei. Em outras duas, os banheiros estavam completamente fechados. A situação foi constatada no último dia 18 de março, em visita do Vigilante Agora a 20 estações do metrô.

O banheiro da estacão república tem cabine interditada e a cabine para deficientes esta bloqueada com um cesto de lixo - Folhapress

De todos os banheiros vistos, somente três, na linha 5-lilás, não tinham problemas. Mais da metade dos sanitários não dispunha de papel higiênico ou sabonete, e em dez havia vasos sanitários sem assento.

Oito estações tinham pelo menos uma cabine interditada. Nas estações República, Tatuapé, Paulista, Vila Mariana e Paraíso isso ocorria também nas cabines acessíveis.

A pior situação foi encontrada na linha 1-azul. Em Santana, faltava material de higiene e havia vasos sem assento, inclusive na cabine acessível. A mesma situação era vista no banheiro da Sé, com o chão coberto por água.

Dos seis banheiros da linha 3-vermelha que foram visitados pelo Vigitante, somente o de Arthur Alvim não tinha vasos sem assento. Havia, no entanto, uma cabine interditada, cena que se repetia no Tatuapé (lado sul), na República (inclusive no banheiro adaptado para deficientes) e na Barra Funda.

Em todas faltava sabonete e papel. Também foi constatado que na maioria das estações, os banheiros acessíveis são usados como se fossem comuns.

Na Barra Funda, até mesmo um funcionário do metrô a utilizou na frente de dois deficientes físicos que aguardavam na fila. “Se até quem trabalha aqui faz isso, o que esperar dos outros?”, questionou um dos homens, que não quis se identificar. As linhas 2-verde e 4- amarela não apresentaram grandes falhas.

O Agora verificou as condições gerais dos banheiros das estações do Metrô. O banheiro da estacão São Bento, está interditado - Rivaldo Gomes/Folhapress

Secretaria diz que faz manutenção e culpa atos de vandalismo

A Secretaria Estadual de Transportes Metropolitanos, sob gestão João Doria (PSDB), informou que realiza regularmente a limpeza e manutenção dos sanitários das estações, mas que estes são alvos frequentes atos de vandalismo, roubo e mau uso.

Assim, é possível se deparar com falta de material de higiene, ainda que, segundo o Metrô, produtos como papel higiênico, papel toalha e sabonete sejam reabastecidos diariamente diversas vezes. O conserto ou a troca de equipamentos é feito pela equipe de manutenção.

Em relação à estação Tamanduateí, a pasta esclareceu que o banheiro foi reaberto no dia 19 de março, após troca das bombas de água que haviam sido danificado pelas chuvas.

Já a estação São Bento permanece fechada em razão de infiltrações de águas que estão sendo reparadas pelo Metrô. A ViaQuatro, concessionária responsável pela manutenção da linha 4-amarela disse que os ajustes nos banheiros das estações Butantã e Paulista já foram providenciados.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.