Casos de dengue triplicam na capital paulista

Foram 170 nos dois primeiros meses de 2018 e 509 no mesmo período deste ano

Regiane Soares
São Paulo

O número de casos de dengue registrados na capital nos meses de janeiro e fevereiro deste ano triplicou em relação ao ano passado, subindo de 170 para 509, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, da gestão Bruno Covas (PSDB).

A gestão tucana ressalta que as epidemias de dengue ocorrem em ciclos, intercalando períodos de surtos e de baixa transmissão. Por isso, já esperava um aumento de casos neste ano, uma vez que nos anos anteriores houve poucos registrados.

Segundo a secretaria, a maior epidemia de dengue na capital ocorreu em 2015, com pouco mais de 103 mil casos, sendo 7.844 nos meses janeiro e fevereiro. O surto se repetiu com menor intensidade em 2016, quando foram registrados 16,2 mil casos, sendo 4.377 nos dois primeiros meses.

Desde então, a doença na capital se manteve em um patamar de baixa incidência. Em 2017, foram 865 casos, sendo 324 nos meses de janeiro e fevereiro. Já no ano passado, foram 563 casos, sendo 170 em janeiro e fevereiro. Não houve óbitos registrados nesses três anos em decorrência da doença.

No estado, o número de mortes por dengue já é mais que o dobro do total de 2018, e a alta incidência tem feito com que cidades até deixem de fazer exames para diagnosticar a doença.

Enquanto em 2018 foram 10 mortes, só no primeiro trimestre deste ano foram registrados ao menos 21 óbitos. Neste ano, até março, foram 34.785 casos no estado. No ano passado inteiro, foram 13.894.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.