Descrição de chapéu Grande SP

Ladrões roubam equipamentos médicos de hospital de Diadema

Material é avaliado em R$ 600 mil

Alfredo Henrique

Um casal furtou domingo (24) cerca de R$ 600 mil em equipamentos de dentro de uma unidade de saúde em Diadema (Grande SP). O crime foi percebido somente na segunda-feira por uma agente administrativa.

Foram levados dois colonoscópios e quatro gastroscópios. Estes equipamentos são um tipo de mangueira usada para a realização de exames no aparelho digestivo.

Segundo a Prefeitura de Diadema, gestão Lauro Michels (PV), os exames de endoscopia e de colonoscopia foram suspensos temporariamente na unidade.

No dia do furto, dois GCMs (Guardas Civis Municipais) e dois GCPs (Guardas Civis Patrimoniais) faziam a segurança do local, conhecido como Quarteirão da Saúde. Aos fins de semana, o setor de onde os equipamentos foram levados é fechado ao público.

Imagens das câmeras de monitoramento mostram o casal entrando pelo pronto-socorro da unidade, por volta das 13h15. Ambos usam boné e carregam, cada um, uma mochila.

Segundo o 1º DP de Diadema, os criminosos aproveitaram a movimentação do PS para entrar no setor fechado ao público. “Eles sabiam onde tinha que ir. São profissionais, pois usaram bonés e andaram de cabeça baixa para dificultar a identificação [pelas câmeras]”, falou um policial que investiga o caso.

A dupla primeiro arrombou a porta, que dá acesso ao setor ambulatorial da unidade, na qual arrombou outras duas portas. “Quando saem de uma das salas, dá para notar que a mulher está com uma grande sacola nas constas, que deve ter trazido dentro da mochila”, acrescentou a fonte policial.

Após o furto, que durou cerca de 25 minutos, a dupla vai embora caminhando, despercebida, pelo mesmo local em que entrou no hospital.

Segundo a polícia, os criminosos podem ter sido contratados para furtar os equipamentos. “As mangueiras, por si só, não servem para nada, pois são ligadas à equipamentos que realizam os exames”, explicou o policial.

Até o momento, 12 pessoas prestaram depoimento à Polícia Civil.

Outro lado

A prefeitura de Diadema, gestão Lauro Michels (PV), afirma que já abriu uma sindicância interna para apurar o caso. Também confirmou que os exames de endoscopia e colonoscopia foram suspensos temporariamente.

“Por mês, o Quarteirão da Saúde realizado 200 procedimentos, sendo 150 endoscopias e 50 colonoscopias”, diz trecho de nota.

O governo municipal acrescentou que casos considerados de urgência serão encaminhado para a rede estadual de saúde.

“A Prefeitura abriu processo para locação dos equipamentos, que deve durar em torno de 30 dias, para realizar os exames de rotina”, finaliza a nota.
 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.