Juíza libera uso medicinal de variedade da cannabis

Decisão favorece paciente que sofre com hérnias discais e também psoríase

William Cardoso
São Paulo

Uma portadora de dores crônicas provocadas por hérnias discais e psoríase obteve a liberação para o cultivo, em casa, de “cânhamo industrial” (Cannabis ruderalis), uma “parente” da Cannabis sativa, a maconha.

Manifestantes favoráveis à legalização da maconha realizam em junho ato na avenida Paulista (região central) - Jardiel Carvalho/Folhapress

Segundo a 5ª Vara Criminal Federal de São Paulo, a mulher poderá ter quantidade suficiente para uso terapêutico próprio, com base em canabidiol. A paciente afirmou que não tinha dinheiro para comprar produtos importados com a substância.

A decisão foi tomada pela juíza federal Maria Isabel do Prado. Apesar de a lei brasileira não permitir o cultivo doméstico de “Cannabis sativa”, Maria Isabel do Prado diz que este não é o único gênero de planta capaz de obter a substância CBD.

“A variedade conhecida como ‘Cânhamo Industrial’ é rica em CBD e extremamente pobre em THC, não gerando os efeitos nocivos do uso, presentes na variedade mais conhecida”, afirmou a juíza.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.