Aplicativo de transporte para idoso tem serviço porta a porta

Motorista do Eu Vô também pode ser requisitado para acompanhar nas compras e no médico

Marcelo Mora
São Paulo

Já está em operação na capital um serviço de transporte por aplicativo direcionado exclusivamente a idosos, o Eu Vô. A principal diferença é que, para utilizá-lo, o passageiro precisa se cadastrar pela internet para ter atendimento personalizado. O serviço foi homologado pela prefeitura.

Trânsito na marginal Tietê (zona norte), na altura da ponte da Freguesia do Ó; idosos têm novo serviço de aplicativo para se deslocar de carro pela capital paulista - Rubens Cavallari - 13.abr.18/Folhapress

Criado pelos irmãos Victória e Gabriel Barboza, o app já vem sendo testado em São Carlos (232 km de SP) desde outubro do ano passado. O principal diferençal é o serviço porta a porta. Ou seja, o motorista busca o passageiro na porta e, após a corrida, leva até a porta do destino. 

“Se precisar, faz o serviço de secretário. Ele pode acompanhar nas compras no supermercado ou shopping. Pode acompanhar em uma consulta e fazer anotações”, afirmou Victória.

Por isso, para ser admitido como motorista do Eu Vô, o interessado precisa passar por treinamento. Ao menos 43 motoristas já estão prontos para prestar o serviço na capital, enquanto outros 1.500 começariam a ser treinados.

Em um primeiro momento, o serviço vai funcionar nos limites do centro expandido da capital e com agendamento de três horas de antecedência. O objetivo é atender um público-alvo estimado em 1,8 milhão de idosos em São Paulo.

A outra vantagem para o usuário é o custo. “Cobramos um pouco a mais que um Uber, porque o serviço é porta a porta. Mas é um valor competitivo, como o de um táxi comum”, afirmou Victória.

A ideia de criar o app, explicou ela, surgiu pela experiência com a própria mãe, diagnosticada com esclerose múltipla há 27 anos. “Com o tempo, ela foi perdendo autonomia e não conseguia mais dirigir. Na convivência do dia a dia, fomos vendo a necessidade de um serviço deste tipo. Começamos dirigindo nossos próprios carros”, contou.

Dica

“Tem de gostar de lidar com idosos e paciência como se estivesse lidando com seus pais.” O ensinamento de Cecília Bollini, 44 anos, vale como dica aos interessados em disputar vaga de motorista do Eu Vô.
Devido a uma mudança de cidade —de São Roque (66 km de SP) para São Carlos (232 km de SP)—, ela se viu obrigada a trocar de profissão.

Ela aproveitou a chance de unir o útil ao agradável. “Não encontrei campo de trabalho aqui. Então, como gosto de trabalhar com idosos, passei a prestar este tipo de serviço”, conta.

Além disso, precisa saber ouvir. “Muitos deles aproveitam para fazer um desabafo, para conversar. São pessoas muito carentes. E escutá-los é tudo o que eles precisam”, ensina.

Serviço

Como é o Eu Vô

  • É preciso fazer um cadastro prévio no site do serviço e fornecer todas as informações sobre usuário, para que este receba o atendimento mais personalizado possível
  • Agendamento do serviço tem de ser feito com três horas de antecedência
  • Atendimento: o motorista vai buscar o passageiro na porta, faz a corrida e o leva até a porta do endereço determinado
  • Serviço de secretário: se solicitado, o motorista acompanha o usuário em compras nos supermercados ou nas consultas, inclusive fazendo anotações
  • Custo comparável a de um táxi comum, segundo a empresa

Como são os demais aplicativos de transporte

  • Sem necessidade de agendamento
  • Pega o passageiro em frente ao endereço e o deixa nas proximidades de seu destino
  • Não faz serviço de secretário
  • Custo inferior ao de um táxi comum

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.