Atividade física uma vez por semana não garante a saúde

Atletas de fim de semana devem se empenhar para transformar os raros exercícios em rotina

William Cardoso
São Paulo

Acha que um futebolzinho com os amigos ou uma caminhada mais forte só uma vez por semana são suficientes para manter tudo em ordem? Achou errado. Ser “atleta de fim de semana” pode até provocar sérios danos ao organismo e o verdadeiro “choque de saúde” vem com a prática frequente de atividade física.

A vida saudável pede exercícios aeróbicos moderados durante 150 minutos ou intensos por 75 minutos, divididos em, ao menos, duas ou três vezes na semana. “É necessário ter conhecimento sobre alguns riscos para a saúde quando a prática de exercícios físicos é feita apenas aos finais de semana, sem maior regularidade”, afirma Marli Soares Gonçalves, assessora técnica da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo.

Segundo Marli, o coração é alvo fácil de quem se aventura pelo esporte sem condicionamento físico, mas não apenas ele. Músculos, tendões e ossos também entram na mira e podem sofrer bastante. “As lesões mais comuns são entorse, distensão muscular e fratura por estresse, se o exercício for muito intenso”, diz.

Muitas vezes, o dano vem da falta de memória. Um boleiro veterano entra em campo só aos domingos e esquece que não é mais uma criança. “Nossa massa muscular necessita de treinos para aumentar resistência, força e flexibilidade. Conforme envelhecemos, perdemos essas propriedades. Então são mais comuns lesões por falta de preparo das fibras da musculatura. A atividade física regular faz diminuir o índice dessas lesões”, diz Alexandre Stivanin, membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.

Para quem pretende pagar para ver e insiste na prática eventual, fica a dica da educadora física Domitilia Crislaine, do Cejam (Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João Amorim). “É melhor praticar exercícios só aos fins de semana do que não praticar dia nenhum. Mas é muito importante respeitar o próprio condicionamento atual, praticando atividades de baixa intensidade, além de procurar um médico para realizar exames periódicos, o famoso check-up”, afirma.

Domitilia, porém, ressalta que o “atleta de fim de semana” deve aproveitar o entusiasmo pelo esporte e incluir atividades físicas também em outros dias. Optar por escadas, passear com o cachorro, brincar com os filhos estão na lista de exercícios. “Isso fará com que seu corpo saia de um estado de sedentarismo e, aos poucos, vá conseguindo ter mais suporte para as atividades mais intensas dos finais de semana”, diz.

Se for jogar futebol, não beba, dizem especialistas

Os fins de semana são um convite ao futebol com churrasco entre amigos. Mas bola no pé e latinha de cerveja na mão é uma combinação explosiva que pode acabar em emergência médica ou no necrotério.

“Segundo o Colégio Americano de Medicina do Esporte, o consumo de álcool e atividade física simultaneamente é bastante prejudicial, por vários motivos, como diminuição da velocidade, redução da força e do tempo de reação, prejuízo no equilíbrio e na capacidade cardiorrespiratória. Além de desidratação e alteração no metabolismo da glicose”, afirma Luís Machado, coordenador de Clínica Médica do Hospital Estadual de Pedreira.

A educadora física Domitilia Crislaine adverte que o excesso de bebidas alcoólicas ou outras substâncias que afetam o sistema nervoso central deve ser evitado, bem como o consumo de sal e gorduras.

“Portanto, se não quiser abrir mão da cervejinha nem do futebol, o mais seguro seria jogar primeiro e só depois curtir um bom papo, com churrasquinho e a cerveja gelada”, explica.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.