Descrição de chapéu Zona Norte

Crueldade praticada na morte de Raíssa surpreende psiquiatra

Laudo da perícia tem um "grau de sadismo muito alto" para um adolescente

Camila Feltrin
São Paulo

O psiquiatra Danilo Baltieri, coordenador do Ambulatório de Transtornos da Sexualidade da Faculdade de Medicina do ABC, diz que a agressão praticada contra a menina Raíssa é refinada para um adolescente de 12 anos.

"Não é praxe entre jovens infratores, mas está ligada a pessoas com mais experiência, sobretudo no campo sexual", afirma.

Para ele, as conclusões do laudo da perícia mostram que o garoto, caso seja o autor do crime, "tem um grau de sadismo muito alto para um adolescente de 12 anos". 

Ainda de acordo com Baltieri, a literatura forense aponta que assassinos sexuais jovens têm dificuldade em encobrir o crime por muito tempo. 

"Normalmente eles mantêm o corpo das vítimas próximo da casa deles e acabam sendo pegos."

O médico afirma que o início da maturação sexual masculina começa entre os 11 e 12 anos. E diz que não é correto usar o termo "psicopatia" a menores, embora traços de transtorno de conduta (como narcisismo, falta de empatia e frieza) já possam ser investigados já nessa idade. 

Advogado especialista em infância e adolescência, Ariel Viveiros de Castro diz que o exame de sêmen é importante para definir se ocorreu, de fato, a participação do menor no crime e se ela houve a participação de outra pessoa.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.