Ipês roxos floridos mudam o tom cinzento da marginal Tietê

Primavera mais seca que o verão é favorável para estas árvores

Os ipês roxos da marginal Tietê iniciaram a semana floridos e exuberantes.

Esta coloração é a segunda mais comum na capital, após os ipês amarelos e seguida pelos brancos. 

O pesquisador do Instituto Florestal Osny Tadeu de Aguiar afirma que os dois primeiros costumam florescer juntos a partir de julho e, os brancos, a partir de setembro. Estes últimos, no entanto, são menos resistentes à chuva e ao vento em comparação com os roxos e amarelos. 

"Quanto mais quente está o clima mais exuberantes eles ficam", afirma Aguiar. A primavera é uma época favorável para estas árvores pois, além de quente, não há tanta chuva quanto no verão. "Eles florescem bem no tempo seco porque a chuva derruba as flores", diz.

Por serem árvores que se adaptam a climas secos, é comum que os ipês sejam observados entre avenidas e carros, ainda que o espaço não seja ideal por conta da poluição, diz Aguiar.

Apesar de eles serem conhecidos como ipês roxos, o pesquisador diz que nenhuma das flores é de fato roxa, suas cores são, na verdade, diferentes tons de rosa. 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.