Uma pessoa morre e outras duas estão desaparecidas em Botucatu

Segundo administração, foram registrados 122 milímetros de chuva entre meia-noite e 4h desta segunda

São Paulo

Uma pessoa morreu e outras duas estão desaparecidas em Botucatu (238 km de São Paulo), após as fortes chuvas que atingiram a cidade na madrugada desta segunda-feira (10). Ao menos dez famílias estão desabrigadas, e o prefeito Mário Pardini (PSDB) decretou estado de emergência e calamidade pública na cidade.

 

Segundo a prefeitura, foram registrados 122 milímetros de chuva entre meia-noite e 4h, o que causou alagamentos, quedas de muros de residências e de árvores.

 

Uma ponte sobre o rio Lavapés, na rua Rafael Sampaio, na região do Camelódromo, desabou com o volume de água. Outras pontes que ligam a região central do município a bairros como Boa Vista, Bairro Alto e Vila Jardim foram interditadas por apresentarem riscos estruturais. Outra ponte, na rua Quintino Bocaiúva, por onde passa o rio Tanquinho, também está interditada.

O governo do estado, confirmou às 19h desta segunda-feira (10) a morte do motorista de um caminhão que caiu na cratera que se abriu na rodovia Marechal Rondon, interditando a via nos dois sentidos. O corpo do motorista foi encontrado às margens de um córrego em local de difícil acesso. 

Ainda está desaparecido um casal que foi levado pela enxurrada na estrada do Capivara, que liga ao distrito de Vitoriana. Segundo a prefeitura, o carro em que o casal estava já foi localizado.

Os desabrigados estão sendo atendidos pela Assistência Social no ginásio municipal Mário Covas Júnior.
O Fundo Social de Solidariedade de Botucatu está recebendo doações para auxiliar as vítimas das chuvas. Podem ser doados roupas, mantimentos, produtos de higiene, roupa de cama, móveis e colchões. As doações devem ser feitas na rua General Teles, 1.434, centro de Botucatu. 

 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.