Descrição de chapéu Coronavírus

Prefeitura publica neste sábado decreto que libera bares a abrir uma hora a mais

Clientes poderão ficar até as 23h nos estabelecimentos, que incluem restaurantes na capital paulista, mas a entrada só será permitida até as 22h

São Paulo

A publicação de um decreto assinado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB), prevista para este sábado (10) com os protocolos e regras para que a capital paulista avance à fase verde do Plano São Paulo, deverá ampliar a abertura de bares e restaurantes para até as 23h. Clientes, porém, só poderão fazer pedidos até as 22h. O limite de funcionamento diário foi aumentado de oito para 12 horas.

Atualmente, os clientes precisam deixar os bares e restaurantes da cidade de São Paulo no máximo às 22h, quando o estabelecimento deve fechar as portas. Agora terão um "chorinho" para tomar com mais calma uma saideira pedida às 21h50 ou comer aquele prato que demorou para sair da cozinha.

Inicialmente, os bares e restaurantes só tinham autorização para abrir até as 17h. Após pressão do setor para funcionamento no horário noturno, a gestão Covas ampliou o limite para às 22h em 5 de agosto.

O avanço da capital à fase verde do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena do novo coronavírus também libera a reabertura de setores culturais, como cinema, teatros, circos e museus. A nova etapa foi anunciada pelo governador João Doria (PSDB) nesta sexta (9) e, além da capital, contempla as regiões de Campinas, Baixada Santista, Piracicaba, Sorocaba e Taubaté.

A fase verde também mudou o horário de funcionamento de shoppings centers, que também a partir deste sábado abrem das 10h às 22h, como antes de serem fechados, em março, por causa da pandemia do novo coronavírus.

Atividades como festas, baladas, torcidas em estádios e grandes ​shows com público em pé ainda não estão autorizados. Caso os números voltem a aumentar, a cidade poderá voltar as fases anteriores do Plano São Paulo, inclusive retrocedendo a fase vermelha.

O governo municipal ainda ressaltou que a reabertura dos espaços culturais será gradual. Neste primeiro momento a ocupação máxima será de 60% da capacidade do equipamento, com limite máximo de 600 pessoas, respeitando normas de higiene e prevenção.

Esta é a primeira vez em que a fase verde é decretada pelo governo, sendo a penúltima etapa, mais branda, de uma escala de cinco momentos de prevenção propostos pelo Plano São Paulo.

"Outras atividades permitidas na fase verde, mas que ainda não foram liberadas (como a reabertura dos parques municipais aos feriados e finais de semana e as atividades esportivas coletivas) serão analisadas somente daqui duas semanas, com o objetivo de aguardar a evolução da pandemia por conta das alterações permitidas", diz a gestão Covas.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.