Paulo Gustavo doou mais de R$ 1,3 milhão para combater a Covid-19 pelo país

Segundo amigas, ator ajudou hospitais na Bahia, comprou oxigênio para Manaus e auxiliou trabalhadores

São Paulo

"Um coração generoso." É assim que Maria Rita Pontes, superintendente das Osid (Obras Sociais Irmã Dulce), em Salvador, na Bahia, descreve Paulo Gustavo, morto na terça-feira (4) por complicações da Covid-19. A entidade foi uma das que recebeu doações do ator na tentativa de amenizar os impactos do coronavírus pelo país. Ao todo, ele doou pelo menos R$ 1,3 milhão para combater a doença.

Preocupado com a propagação do coronavírus em Salvador, ele enviou em abril de 2020 R$ 500 mil para que a Osid, que atende pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde), comprasse EPI (Equipamentos de Proteção Individual) e testes para detectar a doença.

A maior preocupação do artista, afirma a superintendente, era de que os trabalhadores fossem infectados. "Ele tinha muito medo do vírus, se protegeu muito, comentava sempre."

"O Paulo era surpreendente. Ele fez essa doação e foi a nossa salvação, porque atendemos casos e, se essa ajuda não chegasse a tempo, poderíamos ter perdido muita gente com Covid-19", diz Maria Rita. A entidade gerencia, somente em Salvador, 380 leitos, 160 deles de UTI, em hospitais de campanha montados para esse atendimento.

O legado de solidariedade de Paulo Gustavo se estendeu por outros pontos do país. Segundo a cineasta Susana Garcia Capri, diretora do filme Minha Mãe É uma Peça 3, último capítulo da trilogia de sucesso do ator, ele doou R$ 360 mil durante a pandemia a pessoas que trabalharam nos filmes realizados por eles.

"Você mandou um email para todo mundo das equipes perguntando quem estava precisando de ajuda. E as pessoas foram tão corretas, que várias falaram que estavam conseguindo segurar e que não precisavam. Mas a maioria recebeu essa ajuda", afirma Susana em carta para o ator publicada no Instagram nesta quarta (5).

De acordo com a cineasta, durante a crise de Covid-19 em Manaus, no início do ano, ele enviou R$ 500 mil para a compra de oxigênio para abastecer hospitais da cidade. "Lembro um dia, antes de você ser intubado, que você me disse que estava sentindo muita falta de ar, mesmo com cateter de oxigênio, e que você estava feliz de ter comprado oxigênio para as pessoas."

Devoto de Santa Dulce dos Pobres

Desde que conheceu a história de Santa Dulce dos Pobres, em 2017, o ator se tornou devoto da religiosa e passou a ajudar ativamente o trabalho da entidade fundada por ela. Em três doações, ele doou cerca de R$ 1,5 milhão.

Segundo Maria Rita, o ator procurou a Osid em 2017 depois de ter conhecido a história de Santa Dulce dos Pobres pelo filme que conta a história dela. "Eu recebi a ligação dele, era uma voz inconfundível, vi logo que não era trote." À época, estava sendo iniciada a construção de uma unidade de atendimento a pacientes oncológicos. Com a doação de R$ 600 mil, Paulo bancou o projeto.

Na sequência, ele visitou o local e escavou a terra simbolizando o início das obras. Também visitou o túmulo da santa e interagiu com funcionários e operários. Um ano depois, Paulo Gustavo fez outra doação, de R$ 386 mil, para a compra de 33 monitores cardíacos para a entidade.

Segundo Maria Rita, a última vez em que falou com Paulo Gustavo foi meia hora antes de ele ser intubado. "Ele me mandou uma mensagem pedindo que eu rezasse para que a Irmã Dulce tomasse conta dele para que ele ficasse bem. Rezamos muito, fizemos corrente de oração. Ele era uma pessoa da família."

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.