Santos segura o Red Bull e se garante na semifinal do Paulista

Claudinei Queiroz
São Paulo | UOL

O Santos empatou com o Red Bull Brasil na noite desta terça-feira por 0 a 0, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, pela partida de volta das quartas de final do Campeonato Paulista e avançou para as semifinais.

O Peixe tinha vantagem por ter vencido o primeiro duelo do mata-mata por 2 a 0, no Pacaembu. Mesmo assim, foi para cima e chegou a criar chances, mas não conseguiu sair do 0 a 0.

O santista Eduardo Sasha disputa jogada aérea com Léo Ortiz, do Red Bull, no empate sem gols em Campinas
O santista Eduardo Sasha disputa jogada aérea com Léo Ortiz, do Red Bull, no empate sem gols em Campinas - Ivan Storti/Santos FC/Divulgação

Como o Palmeiras goleou o Novorizontino e ficou na primeira colocação geral, somando os pontos da fase de grupos com os jogos das quartas de final, o time do técnico Jorge Sampaoli garantiu-se em segundo e agora espera os confrontos de hoje para saber quem será seu adversário nas semifinais. O que se sabe é que o Peixe decidirá em casa contra qualquer rival. Pelo regulamento, o primeiro enfrentará o time de quarta campanha na semifinal, enquanto o segundo encara o terceiro.

Apesar de não ter voltado a marcar gols, o meia Jean Mota foi o principal articulador do Peixe, principalmente, na primeira etapa. Dos pés dele saíram as melhores oportunidades santistas na partida, com ele próprio tendo ao menos duas delas: o toque de peito depois do cruzamento de Pituca e a cabeçada após levantamento de Sánchez, ambas defendidas pelo goleiro Julio César.

Quem deixou a desejar foi o colombiano Copete, que ganhou a chance de ser titular. No entanto, o atacante não conseguiu aproveitar a oportunidade. Com mais poder de recomposição do que Rodrygo, ele falhou em reforçar a marcação pelo lado esquerdo, por onde Aderlan fez boa partida. Na parte ofensiva, não deu seguimento em quase nenhuma jogada e fez o Peixe atacar mais pela direita enquanto esteve em campo. Assim, Rodrygo voltou ao time no intervalo e deu mais volume ao ataque peixeiro.

O camisa 11 até foi personagem de um lance polêmico, aos 10min do segundo tempo, quando deu um rolinho em Aderlan e caiu após ser atingido pelo rival. Os santistas pediram pênalti, mas o árbitro, Leandro Bizzio Marinho, nada marcou, mesmo após consultar o VAR.

Com boa vantagem, o alvinegro praiano tirou um pouco o pé no fim e apenas manteve a posse de bola para não deixar o rival crescer. Agora é esperar mais uma dureza nas semifinais.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.