Na Série C, clubes viajam até 4.000 km

Os paraenses Paysandu e Remo vão enfrentar os gaúchos São José, Juventude e Ypiranga na primeira fase da Terceirona

Luís Marcelo Castro

A terceira divisão do futebol nacional, que começa neste sábado (27), não terá representantes do futebol paulista neste ano, já que Botafogo e Bragantino ascenderam à Série B e ninguém subiu da Série D do Nacional.

Para os clubes da disputa da Terceirona, porém, as longas viagens, especialmente no Grupo B, devem se tornar um tormento.

Mapa mostra a distância que Remo e Paysandu, de Belém, e São José, de Porto Alegre, terão de viajar para jogos da Série C
Mapa mostra a distância que Remo e Paysandu, de Belém, e São José, de Porto Alegre, terão de viajar para jogos da Série C - Reprodução/Google Maps

Isso porque a Grupo A foi regionalizado só com os dez representantes do Nordeste. Com isso, clubes da região Norte entraram na mesma chave dos times do Centro-Oeste, do Sudeste e do Sul.

Assim, equipes terão de atravessar o país para jogar. Nada menos que 3.987 km separam Paysandu e Remo, de Belém (PA), por exemplo, do São José, clube da cidade de Porto Alegre (RS).

Para outros clubes, a situação pode ser ainda pior. Logo na rodada inicial, amanhã, o Paysandu vai enfrentar o Ypiranga, em Erechim (RS), e pegará ao menos dois voos —ou um avião e um ônibus— para chegar ao interior gaúcho e fazer outros dois trechos para retornar a Belém.

Para os torcedores, que não precisam encarar os aeroportos, a CBF anunciou a transmissão de 86 partidas da Terceirona pelo DAZN, sendo quatro por rodada. Alguns jogos poderão ser vistos gratuitamente pelo canal da empresa no Youtube, mas é possível que haja acordo para exibição na TV.

Jorge Henrique, que vai defender o Náutico na Série C do Brasileiro, treina no Recife
Jorge Henrique vai defender o Náutico na Série C do Brasileiro - Léo Lemos - 24.abr.19/CNC/Divulgação
Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.