Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Timão de Carille sobra, Peixe de Sampaoli sofre

Vitor Guedes
São Paulo

Vou acender velas para são Jorge, a ele eu quero agradecer... Alô, povão, agora é fé! Com ótimo futebol coletivo, atuações excepcionais de Ralf e Fagner, boas alterações de Carille e gols de Boselli e Mateus Vital, o Corinthians despachou a Chapecoense, 2 a 0.

Mesmo sem Henrique, Avelar, Urso e Gustagol, vetados, o Corinthians começou bem, atacando, e abriu o placar com Boselli, aproveitando cruzamento açucarado de Ralf, acabando com a vantagem aberta pela Chape em Santa Catarina.

Mateus Vital comemora o seu gol na vitória por 2 a 0 sobre a Chapecoense, no Itaquerão, que deu a vaga ao Corinthians nas oitavas de final da Copa do Brasil
Mateus Vital comemora o seu gol na vitória por 2 a 0 sobre a Chapecoense, no Itaquerão, que deu a vaga ao Corinthians nas oitavas de final da Copa do Brasil - Rodrigo Coca/Ag.Corinthians/Divulgação

Foi um ótimo primeiro tempo corinthiano, lembrou as primeiras etapas dos dois clássicos em casa contra o Santos no Paulistão, e o 1 a 0 parcial foi pouco. Destaques especiais para Fagner, Ralf e Sornoza!

Apesar do desgaste, o Corinthians voltou na mesma toada para o segundo tempo. Com Fagner e Ralf, que teve o 2 a 0 na sua canhota e chutou por cima, matando a pau. Carille achou pouco e, mesmo tendo Cássio, não queria pênalti e trocou Ramiro por Love, aos 14min, Pedrinho por Mateus Vital, aos 21min. E Vital, após outra jogadaça de Fagner, fez o gol da merecida classificação!

O Santos, acomodado na vantagem de 2 a 0 da ida, não jogou nada em São Januário, viu o Vasco abrir 2 a 0 com Raul e Ricardo Graça e diminuiu com Jorge para 2 a 1 no início no segundo tempo. O Vasco, que teve um gol (bem) anulado e perdeu outro inacreditável nos acréscimos, terminou pressionando pelo gol que levaria o time aos pênaltis. No fim, o importante é que o Peixe avançou. Quer dizer, eu acho importante e parabenizo. Agora quem não liga para esse negócio de ganhar e festeja posse de bola e plasticidade deve estar se rasgando de raiva, né... Peroba neles!

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.