Timão para o Tricolor na primeira final

Com o 0 a 0 no Morumbi, decisão do Paulista fica para Itaquera

Toni Assis Luiz Cosenzo

Com a marcação prevalecendo na etapa inicial e pelo menos duas boas defesas de Cássio durante os 90 minutos, São Paulo e Corinthians empataram por 0 a 0, neste domingo (14), no Morumbi, pelo jogo de ida da final do Paulista.

Para conquistar o título e não escrever mais uma marca negativa, os dois times terão que procurar alternativas ofensivas para conquistar a vitória no segundo confronto, marcado para o próximo domingo, às 16h, no Itaquerão.

O corintiano Clayson disputa a bola com o são-paulino Arboleda, no Morumbi, no jogo de ida das finais do Campeonato Paulista
O corintiano Clayson disputa a bola com o são-paulino Arboleda, no Morumbi, no jogo de ida das finais do Campeonato Paulista - Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Em caso de empate, o campeão será conhecido nas cobranças de pênaltis.

O Timão, que busca o tricampeonato consecutivo, tem um retrospecto favorável com Carille no comando quando decide em seu estádio no Paulista. Em seis ocasiões, o clube jamais foi eliminado —conseguiu a classificação ou foi campeão.

Já o São Paulo terá que quebrar tabus para levantar a taça na casa do adversário. Neste ano, nem sequer triunfou em um clássico. São três derrotas, três empates e apenas um gol marcado.

Outro tabu se refere ao Itaquerão: perdeu sete vezes e empatou três em dez jogos.

Em campo, o que se viu foi um São Paulo ofensivo, forçando o ritmo nos primeiros 20 minutos, e o Corinthians resistindo com uma marcação eficiente, apostando nos contragolpes de Clayson.
O lateral Danilo Avelar, machucado, foi substituído por Carlos, que conseguiu dar trabalho a Antony, a grande esperança são-paulina.

Assim, a melhor chance da etapa inicial surgiu em um lance de bola parada. Após cobrança de escanteio, Arboleda cabeceou e Cássio defendeu com as mãos e, em seguida, com o pé.

Na etapa final, o São Paulo voltou com Hernanes no lugar de Gonzalo Carneiro e o time ganhou mais criatividade no meio-campo.

No final do jogo, na base da pressão, o Tricolor quase abriu o marcador, em chutes de Hernanes e Luan. Apesar da pressão, o Corinthians se segurou na defesa e conseguiu garantir o 0 a 0.

Com a escassez de gols na final e nas semis —foram quatro em quatro jogos—, a média das duas últimas fases é de 0,80 por confronto, a pior desde 2011. Na fase classificatória e nas quartas, foi de 2,16 gols.

O time do Morumbi marcou 17 gols em 17 jogos do Estadual até aqui, enquanto o rival fez apenas 14.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.