Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Paolla Oliveira, Yoko Ono e as chances do Liverpool

Vitor Guedes
São Paulo

Não era belo, mas mesmo assim havia mil garotas afim, cantava “Help” and “Ticket to Ride”... Alô, povão, agora é fé! Internacional, já classificado, e Atlético-MG, já eliminado, têm compromissos válidos pela varzeana Taça Libertadores da América, mas o planeta bola estará todo ligado e com os holofotes voltados para o “amistoso” entre Liverpool e Barcelona, confronto que chancelará a classificação da equipe catalã à decisão da Liga dos Campeões da Europa: “Champions League” é fronhice de colonizado fanático que trata xepa do naipe de “pague um e leve dois” de “50% off”.

Messi passa por Robertson, defensor do Liverpool, durante o jogo de ida das semifinais da Liga dos Campeões da Europa
Messi passa por Robertson, defensor do Liverpool, durante o jogo de ida das semifinais da Liga dos Campeões da Europa - Javier Soriano - 1º.mai.19/AFP

O Liverpool não terá os atacantes Roberto Firmino e Salah, mas poderia ter ambos que ainda assim a história do confronto não mudaria e a vaga continuaria sendo, como será, de Lionel Messi, digo, do Barcelona.

É mais fácil John Lennon ressuscitar e dar o pontapé inicial no estádio Anfield ou Yoko Ono ganhar de Paolla Oliveira um concurso de “Miss Bumbum” do que o Liverpool devolver com juros (“remontada” é o escambau) o 3 a 0 que levou na Catalunha. É claro que a partida de hoje está aberta, as três colunas são possíveis (empate ou vitória inglesa ou espanhola), mas o campeão espanhol já pode pensar na decisão da Liga contra Ajax (favorito) ou Tottenham.

Mas o fato de o confronto estar decidido não significa que o embate de hoje não possa ser histórico. Toda vez que Lionel Messi entra em campo a história está sendo escrita e nunca sabemos se será mais um capítulo especialíssimo, como o cunhado na ida, na última quarta, ou se será “só” mais um jogo de Messi...

Charles Bukowski: “Bem, tudo o que se pode fazer é esperar a morte chegar”.

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.