Peixe empaca em goleiro do CSA e perde os 100%

Rodrygo tem boa atuação no estádio Rei Pelé, mas Jordi vence duelo com joia santista

Quase la linha de fundo, o atacante santista Derlis González, cara a cara, com o goleiro Jordi, do CSA, tenta a finalização durante o duelo entre Peixe e o time alagoano, no estádio Rei Pelé
Derlis González tenta superar o goleiro Jordi, do CSA, durante o duelo entre Peixe e o time alagoano, no estádio Rei Pelé - Ivan Storti/Santos FC
DO UOL

O Santos visitou estádio Rei Pelé, em Maceió (AL), com a ideia de manter os 100% de aproveitamento que lhe faria dividir a liderança do Brasileirão com o Atlético-MG, mas não passou de um empate sem gols. A equipe alvinegra criou chances, mas parou na grande atuação de Jordi, o goleiro do CSA.

A equipe comandada por Jorge Sampaoli chegou a sete pontos em três jogos. Os alagoanos têm dois, ambos conquistados em casa —na rodada passada, havia empatado com o Palmeiras.

 

O Peixe conseguiu impor seu estilo característico e teve o domínio da bola desde o começo da partida. Mesmo assim, não conseguiu transformar os 68% de posse na primeira etapa em grandes chances de gol. Na melhor delas, o lateral esquerdo Jorge pegou o rebote de chute de Rodrygo e acertou a trave do goleiro Jordi, que chegou a raspar na redonda. Foi o início da ótima atuação do arqueiro azulino.

Jorge Sampaoli voltou com a mesma equipe para a segunda etapa, apenas deslocando Rodrygo do lado esquerdo para o direito. Cueva foi do meio para esquerda, mas ficou devendo em ambas as posições. Não à toa, o peruano saiu aos 13min para a entrada de outro estrangeiro, o venezuelano Soteldo. O meia-atacante Jean Mota entrou em campo pouco depois no lugar do zagueiro Lucas Veríssimo.

O Santos melhorou quase automaticamente com as alterações, mas Jordi evitou que o time paulista abrisse o placar. Em duelo particular com Rodrygo, ele defendeu chute do santista com os joelhos aos 32min e impediu golaço do atacante aos 45min. O Raio entrou na área pela esquerda e deu rolinho no marcador antes de bater com a canhota. Jean Mota também parou no goleiro da equipe alagoana.

Porém, foi do CSA a melhor chance da partida, aos 35min. Didira deu lançamento rasteiro que deixou Victor Paraíba na cara do gol. O meia driblou Vanderlei, mas ficou desequilibrado e não conseguiu finalizar com precisão. Bola na rede, mas do lado de fora.

Apesar de não ter deixado sua marca, Rodrygo foi de novo o respiro criativo do Santos. Tanto pela direita quanto pela esquerda, levou a melhor no um contra um. Jorge Sampaoli certamente está preocupado com a iminente saída do atacante para o Real Madrid, em julho.
 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.