Santos empata em Minas e decidirá a vaga nas quartas no Pacaembu

O Peixe domina primeiro tempo, o Galo, o segundo, e empate leva a decisão para 6 de junho

Luís Marcelo Castro
São Paulo

O Santos foi até a Arena Independência, em Belo Horizonte (MG), e arrancou um empate por 0 a 0 do Atlético-MG, na partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

Em um jogo dominado por uma equipe em cada tempo, o resultado ficou de bom tamanho para ambos.
 O Peixe joga por uma vitória no dia 6 de junho, no Pacaembu, para avançar às quartas de final do torneio. Um novo empate, por qualquer placar, leva a disputa para as penalidades, enquanto um triunfo do Galo classifica os visitantes.

O santista Rodrygo tenta escapar da forte marcação do atleticano Luan; o empate sem gols em Belo Horizonte adiou a definição da vaga nas quartas de final
O santista Rodrygo tenta escapar da forte marcação do atleticano Luan; o empate sem gols em Belo Horizonte adiou a definição da vaga nas quartas de final - Ivan Storti/Santos FC/Divulgação

A partida começou quente, com o Alvinegro paulista partindo para cima do time mineiro, especialmente pelos flancos, com Jorge e Derlis na esquerda e Victor Ferraz e Rodrygo na direita.
Os comandados de Jorge Desio, auxiliar do suspenso Sampaoli, trocavam de posição e se movimentavam bastante, criando dificuldades para o anfitrião.

Com ampla posse de bola e troca de passes, o grupo de Baixada tinha mais facilidade para se aproximar da área, mas sem ameaçar o goleiro Victor —perdia a bola no erro no último toque ou acabava desarmado.
Tanto que a primeira boa chance de gol veio aos 27min, em tiro de Victor Ferraz que saiu por cima da meta de Victor. 

Na sequência, após um lançamento de Guga e boa troca de passes do Atlético-MG, Luan arriscou de longe e tirou tinta do travessão do arqueiro santista Everson.

As melhores chances da etapa inicial, porém, vieram aos 40min. Jean Mota pedalou para cima de Guga, soltou o pé e obrigou Victor a fazer ótima defesa, espalmando para cima. Em seguida, após a cobrança de escanteio, Guga se esticou para tocar a bola e impedir Derlis de empurrá-la para a rede na segunda trave.
Na etapa final, o Galo voltou do vestiário mais agressivo, mas ainda sem criatividade, e a correria dos dois lados predominou no Horto.

Bastou a entrada de Cazares no lugar do ex-santista e inoperante Geuvânio para o time da casa crescer e passar a pressionar um Peixe que acusava cansaço. Se no primeiro tempo só deu Peixe, o segundo foi do Galo.

Aos 20min, o próprio Cazares bateu cruzado e obrigou Everson a fazer boa defesa para salvar o Santos. Dez minutos depois, Nathan aproveitou rebote e mandou rente à trave.

Com o Alvinegro Praiano pressionado, Desio buscou dar novo fôlego e velocidade, acionando Soteldo, Sasha e, depois, Cueva.

O Peixe voltou a acuar os atleticanos, mas, sem efetividade nas finalizações, não levou perigo a Victor, enquanto o Atlético buscou o gol até o último minuto.

No fim, o empate sem a abertura de contagem fez justiça ao que cada equipe apresentou em dois tempos distintos.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.