Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Corinthians de Marlene

Vitor Guedes
São Paulo

O Corinthians é de todos. É das minas solteiras, das minas casadas, das viúvas, das desquitadas. Por destino ou fruto de legítimas opções. De todas as gerações. É das mulheres independentes que não assinam o sobrenome do parceiro de agora, é das esposas de todas as classes, idades e histórias de outrora. O Corinthians é Marlene. 

O Corinthians é o clube mais brasileiro do brasileiríssimo povo que samba na Gaviões da Fiel, é de quem sua na avenida. Brinca, pula, faz todo o escarcéu. É da senhora toda charmosa, coisa mais bonita, que sabe, faz a hora e estala castanhola. O Corinthians é Marlene.

Claudio Oliveira

O Corinthians é altaneiro, pioneiro, clube mais brasileiro que tão bem abrigou e abraçou o estrangeiro. Que história! Como a da paulistana do bairro do Brás que esquentou o coração do espanhol de Zamora. O Corinthians é Marlene.

O Corinthians é imigrante, migrante, mutante, inebriante, instigante. Apaixonado, apaixonante. Questionado, questionante. O Corinthians é Marlene.

O Corinthians é vanguarda. Nasceu predestinado a sofrer, a vitória, a fazer história. Como a primeira mulher que o presidiu. O Corinthians é Marlene.

O Corinthians é simples. Autêntico. Na fase difícil, no jejum, ou na bonança, enumerando conquistas, nadando em dinheiro. O Corinthians é Marlene.

O Corinthians não nasceu nem morreu ontem. Não acabou nem jamais acabará. Encantou e passou por gerações, driblando os puxa-sacos, a inveja e as maledicências. E está e sempre estará para sempre dentro dos nossos corações. O Corinthians é Marlene. 

O Corinthians é, ao mesmo tempo, duro e protetor, democrático e autoritário, progressista e conservador. O Corinthians é o paradoxo do suposto feminismo escorado na figura do marido, tudo junto e misturado com a figura forte da mulher personagem do pioneirismo. O Corinthians é Marlene.

O Corinthians é eterno. Este é o plano. Em qualquer plano. Daqui para frente, Marlene tem toda a eternidade para tomar umas Brahmas mandadas pela Antarctica com Vicente. O Corinthians é Marlene.

Marlene é Matheus.

Matheus é Marlene.

O Corinthians é Marlene, o Corinthians é Matheus, o Corinthians é Marlene Matheus.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.