Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Palmeiras não pode vacilar contra o Inter

Vitor Guedes
São Paulo

Na segunda-feira eu não vou trabalhar, é, é, é, a, na terça-feira não vou pra poder descansar, é, é, é, a, na quarta preciso me recuperar... Alô, povão, agora é fé! É quarta-feira! É quarta-feira! É quarta-feira! Após a interminável pausa para a modorrenta Copa América, o futebol brasileiro volta com tudo, enfim, com três confrontos válidos pela ida do mata-mata das quartas de final da Copa do Brasil.

E é muito difícil prever o que esperar de Grêmio e Bahia, de Athletico e Flamengo, e de Palmeiras e Inter porque, óbvio ululante, o ritmo das equipes e o embalo competitivo foi perdido inclusive pelo respeitável público. E a empolgação da massa, o embalo dos jogadores e a sequência ritmada dos jogos, claro, têm influência nas partidas!

Não dá tempo de Dudu ficar chateado por não disputar a Copa América com a seleção, é preciso vencer o Inter
Não dá tempo de Dudu ficar chateado por não disputar a Copa América com a seleção, é preciso vencer o Inter - Cesar Greco - 27.jun.19/Ag.Palmeiras/Divulgação

Por mais pacheco e passa-pano que possa ser o torcedor verde-amarelo, a verdade é que nem o título da Copa América matou a sede de bola de quem ama o futebol de verdade e, pois, é muito mais apaixonado pelo seu clube do que pelo time da CBF, que se presta ao papel vergonhoso de dar palanque para político levantar troféu.

Voltando à Copa do Brasil, uma má atuação pode ser fatal e, por isso, o Palmeiras, que tem na memória o cochilo contra o Cruzeiro na edição do ano passado, sabe que tem que entrar ligadaço contra o Colorado. Não há tempo para Dudu ficar chateado por não ter feito parte do elenco campeão continental pela amarelinha ou para Guerrero ficar lamentando a derrota peruana no Maracanã.

Como a decisão será no Beira-Rio, Felipão sabe que tem que construir uma vantagem nesta quarta-feira. Qualquer vitória, por um gol de diferença que seja, é importante. Até porque o Palmeiras, com sua sólida defesa, já mostrou que também é forte e muito difícil de ser batido como visitante.

Resumindo, a Copa América atrapalhou os clubes. Quem conseguir entrar no clima de competição primeiro levará vantagem.

Machado de Assis: "A arte de viver consiste em tirar o maior bem do maior mal".

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.