Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: A chatice de ser um idiota atrasado no século 21

Vitor Guedes
São Paulo

Te chamam de ladrão, de bicha, maconheiro, transformam o país inteiro num puteiro... Alô, povão, agora é fé! Vasco 2 x 0 São Paulo foi interrompido, corretamente, pelo árbitro Anderson Daronco por causa dos gritos de “time de viado” pela torcida cruzmaltina.

O Vasco pode perder os pontos da vitória sobre o São Paulo por causa dos gritos homofóbicos da torcida
O Vasco pode perder os pontos da vitória sobre o São Paulo por causa dos gritos homofóbicos da torcida - Nayra Halm - 25.ago.19/Fotoarena/Agência O Globo

Voltando no tempo, os romanos atiravam cristãos aos leões, os senhores de engenho escravizavam negros, a sociedade patriarcal normalizou o fato de mulheres não votarem nem trabalharem...

Quando comecei a frequentar arquibancada, nos anos 80, gritos homofóbicos eram regra. Cansei de gritar também e achava normal e, até, divertido. O tempo passou, não vejo mais a menor graça. Tampouco pode ser considerado normal, que não é sinônimo de comum.
Chega! Basta! Futebol não é um mundo à parte da sociedade. E que seja um mundo bem-humorado, com rivalidade e diversão. E isso é possível sem racismo, sem machismo, sem homofobia, sem preconceito.

O bom senso só funciona quando dói o bolso. Ou alguém usaria cinto de segurança se não fosse multado? Esperar que a sociedade respeite os gays por conta própria, sem punição, é tratar o crime de homofobia como um crime menor que outros. Que, de agora em diante, não se puna só o clube do preconceituoso como também o próprio, individualmente, na esfera criminal. O futebol não está ficando chato. Chato é viver com o cérebro da Idade Média no século 21.

Agradeço aos leitores de Caneladas do Vitão por me colocarem, pelo segundo ano seguido, entre os dez finalistas do prêmio Comunique-se na categoria “escrita-esportes”. O reconhecimento e o carinho do público não têm preço. A votação segue no site Comunique-se para a indicação dos três que irão ao pódio. Agradeço desde já a quem optar pelo meu nome, mas já me considero vitorioso e muito feliz pelo reconhecimento.

Fernando Pessoa: “Eu sei que não sou nada e que talvez nunca tenha tudo. Aparte isso, eu tenho em mim todos os sonhos do mundo”.

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.