Com um a menos, Santos é derrotado pelo Cruzeiro

Expulsão do zagueiro Gustavo Henrique no início prejudica o Peixe

Luís André Rosa

Aos 57 segundos de jogo, tudo o que Cruzeiro e Santos planejaram para o encontro deste domingo (18) no Mineirão teve que ser mudado. O lance foi a expulsão do zagueiro do Peixe Gustavo Henrique, que saiu de campo quatro minutos depois, após o juiz Anderson Daronco consultar o VAR.

Com um homem a mais, o estreante Rogério Ceni, treinador da Raposa, aumentou o poder ofensivo da sua equipe, venceu por 2 a 0 e ao final do duelo foi ovacionado pela torcida cruzeirense.

O zagueiro Gustavo Henrique comete falta no atacante Pedro Rocha
O zagueiro Gustavo Henrique perde a divida com o atacante Pedro Rocha e faz falta na entrada da área. Após a revisão pelo VAR, o defensor é punido com o cartão vermelho. - Twitter Mineirão/Divulgação

Derrotado pela segunda vez seguida como visitante _caiu diante do São Paulo na rodada anterior _, o Peixe permanece na liderança com 32 pontos, mas agora viu a aproximação de Flamengo e Palmeiras, que estão empatados na segunda colocação com 30 pontos. O rubro-negro leva vantagem sobre os palmeirenses no critério de desempate número de vitórias (9 a 8).

Estagiário de Jorge Sampaoli, quando decidiu virar treinador, Ceni usou as lições do mestre e apostou em um ataque com jogadores jovens e velozes, no caso Pedro Rocha e David.

O lançamento para o primeiro mudou radicalmente o duelo. O atacante ganhou na corrida do zagueiro Bruno Henrique e foi derrubado na entrada da área.

Para o juiz Anderson Daronco foi uma disputa de bola normal, mas a imagem mostrou claramente que o defensor errou o carrinho e derrubou o adversário.
Sampaoli não quis remontar a zaga. O técnico tirou o meia Evandro, que foi escalado como ala, e colocou o lateral direito Pará.

No abafa, o Cruzeiro teve ao menos duas chances para abrir o placar. Ceni percebeu que tinha como ser ainda mais ofensivo e chamou o atacante Fred, que entrou aos 25min no lugar do lateral esquerdo Egídio.
O centroavante, que não marcava havia 16 partidas ou desde o dia 23 de abril, brilhou, espantou a maré de azar e detonou o Peixe.

Para que o camisa 9 decidisse, ele contou com o auxílio do camisa 10, Thiago Neves. Na assistência do armador, o avante mostrou que não desaprendeu o seu principal ofício e abriu o marcador, aos 44min.

Após intervalo, Sampaoli reforçou a zaga, sacou o lateral direito Pará e colocou o zagueiro Luiz Felipe. Não deu tempo para o time se ajustar. No pivô de Fred, aos 2min, Thiago Neves fez 2 a 0.

Essa desvantagem ficou grande demais e, com um homem a menos, o Peixe fez pouco na frente e só tomou cuidado para não sofrer uma goleada.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.