Como nos velhos tempos, Palmeiras goleia o CSA no Pacaembu

Verdão goleia por 6 a 2, mantém a segunda colocação a três pontos do Flamengo

Luís André Rosa
São Paulo

Se havia alguma dúvida de que o Palmeiras já atua como quer o técnico Mano Menezes, isso foi dissipado com a aula de futebol no jogo contra o CSA, com goleada por 6 a 2, nesta quinta-feira (27), no Pacaembu.
Sob o comando do treinador, o Verdão subiu para 45 pontos e segue a três de distância do líder Flamengo.

Com o tropeço, o CSA, que havia sofrido cinco gols nas últimas nove partidas, permanece com 19 pontos. 
Além disso, por causa dos empates de Cruzeiro e Fluminense, a equipe alagoana caiu para a 17ª posição e retorna à zona da degola.

Gustavo Gómez comemora seu gol
Em sua 50ª partida com a camisa do Palmeiras, o zagueiro Gustavo Gómez comemora o seu gol, o quarto na vitória sobre o CSA, nesta quinta-feira (27), no Pacaembu. - Cesar Greco/Ag. Palmeiras

A vitória do rubro-negro nesta quarta-feira (26) sobre o Internacional aumentou a pressão sobre os palmeirenses, que entraram a seis pontos atrás do líder.

Só que o Palmeiras tem um novo jeito de jogar, com mais técnica do que força, característica da era Luiz Felipe Scolari. A construção da goleada mostrou uma equipe leve, organizada, com marcação forte, toques de bola de pé em pé e o contragolpe fulminante.

Do lado azul, a coragem em agredir o adversário, mesmo sendo goleado, é digna de ser valorizada. Até por isso, eles marcaram dois gols e poderiam ter feito mais, como também não seria injusto dizer que o CSA escapou de dez tentos.

Com esse repertório, quem foi ao Pacaembu assistiu uma partida que re lembrou os velhos tempos. Mandante, o Alviverde massacrou desde o início e o adversário não viu a cor de bola. Em 29 minutos, os palmeirenses marcaram três com Luiz Adriano, Willian e Bruno Henrique.

O que mais chamou a atenção foi o lance do terceiro gol. Até a conclusão do volante, os jogadores envolvidos na articulação deram 45 toques em 19 segundos.

Para recordar o estilo de jogo antigo, no último lance da primeira etapa, em jogada aérea Gustavo Gómez anotou o quarto tento.

No segundo tempo, a cadência de ritmo foi exagerada. O CSA ganhou coragem e diminuiu com Apodi, o que deixou Mano irritadíssimo com o erro de marcação.

Com a entrada de Lucas Lima, que vem ganhando moral com o treinador, o Palmeiras recuperou o apetite ofensivo e anotou mais dois. O meia teve participação decisiva nos gols de Luiz Adriano e Bruno Henrique. No fim, em um descuido de Gustavo Gómez, Ricardo Bueno fechou o placar. 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.