Sem inspiração, Santos cai no Independência

Alvinegro joga mal, perde para o Atlético-MG em Minas Gerais e estaciona nos 51 pontos no Campeonato Brasileiro

Claudinei Queiroz
São Paulo

O plano de o Santos dar o troco no Atlético-MG durou apenas um minuto. Foi o tempo que o atacante Luan aproveitou para abrir o placar no estádio Independência, em Belo Horizonte, no duelo deste domingo (20) em que o Galo bateu o Peixe por 2 a 0, pela 27ª rodada do Brasileirão.

A equipe de Jorge Sampaoli queria a revanche após o rival eliminá-la nas oitavas de final da Copa do Brasil deste ano, mas não foi o que aconteceu. Ao contrário, levou dois gols e estacionou nos 51 pontos, na terceira posição do Nacional. O anfitrião, por outro lado, voltou a vencer após quatro rodadas e foi aos 35 pontos na primeira vitória do técnico Vagner Mancini.

Santista Gustavo Henrique divide com o zagueiro atleticano Leonardo Silva, que marcou o segundo gol do Galo no estádio Independência, pelo Campeonato Brasileiro
Santista Gustavo Henrique divide com o zagueiro atleticano Leonardo Silva, que marcou o segundo gol do Galo no estádio Independência, pelo Campeonato Brasileiro - Ivan Storti/Santos FC/Divulgação

Logo de cara, os mineiros partiram para cima, surpreendendo um Santos sem muita inspiração. Assim, surgiu o primeiro gol: após um lançamento do zagueiro Réver, Luan dominou no peito, nas costas do lateral esquerdo Jorge, e chutou cruzado para marcar. Gol confirmado após quatro minutos de parada para conferência pelo VAR.

Pouco a pouco, o Peixe passou a dominar a posse de bola e atacar com Marinho pela direita e Soteldo pela esquerda. No entanto, as melhores chances foram em lances de bola parada, com Carlos Sánchez, mas sem real perigo para o goleiro Cleiton.

Quando parecia que o time paulista conseguiria empatar, a ducha de água fria. Em cobrança de escanteio de Otero, aos 22min, o zagueiro Leonardo Silva subiu sozinho no primeiro pau e cabeceou livre para fazer o segundo gol atleticano.

A partir daí, o duelo passou a ter divididas ríspidas dos dois lados, que provocaram muita discussão entre os jogadores e cinco cartões amarelos aplicados.

A melhor chance santista aconteceu aos 38min, em cobrança de falta de Sánchez que o goleiro Cleiton espalmou para escanteio. Assim, a partida foi para o intervalo com boa vantagem para o time da casa.

Sampaoli tentou mudar o panorama do jogo após o intervalo, trocando Marinho por Eduardo Sasha. Mas em nada surtiu efeito. O Peixe continuou com uma atuação burocrática, sem conseguir superar a defesa rival.
Tanto que, após meia hora de futebol fraco de ambas as equipes, as principais chances foram do Atlético-MG, em cabeçada de Elias e chutes de Otero e Cazares.

Para um time que ainda sonhava em alcançar o líder Flamengo e brigar pelo título, a derrota serviu para o Peixe cair na realidade. Faltando 11 rodadas para o fim do Nacional, a disputa agora é com o Palmeiras pela segunda colocação. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.