Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Torcida canta e vibra no esquenta para ser sofredor

Vitor Guedes
São Paulo

Vamos à luta sem medo, que é hora do tudo ou nada... Alô, povão, agora é fé! O Verdão sofreu, mas segurou o 1 a 0 contra o Ceará graças a Weverton, que pegou até "penalidade". Com naturalidade, Zé Rafael abriu o placar logo no início. O problema é que, com a mesma naturalidade, o Palmeiras recuou demais, chamou o Vozão, que viu Bergson parar em Weverton no "pênalti" inventado e ainda perdeu o empate com Valdo.

O meia Zé Rafael comemora o gol da vitória do Palmeiras sobre o Ceará, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro
O meia Zé Rafael comemora o gol da vitória do Palmeiras sobre o Ceará, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro - Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Na etapa final, os cearenses voltaram a parar no paredão verde e o Palmeiras parou na trave com Gustavo Gómez. Com o 1 a 0, o Verdão reduziu para cinco pontos a vantagem do Flamengo. E o palmeirense, mesmo negando, terá a árdua tarefa de torcer para o Timão logo mais contra o virtual campeão. E não será teta, não, alviverde!

Nunca antes na história do clássico, Flamengo e Corinthians chegaram em momentos tão diferentes. Nem em 2008, quando o Timão disputava a Série B, a diferença era tão abissal!

De um lado, o Flamengo, que investiu os tubos e teve, enfim, a competência de transformar dinheiro em um time que está prestes a confirmar matematicamente o título brasileiro (que, à vera, já é seu) enquanto se prepara para a final da Libertadores; de outro, o Corinthians, que ganhou tudo nos últimos anos, mas que chega sob protestos e cobranças da Fiel, sem vencer há sete jogos e com Carille ainda no banco só porque a multa não permitiu a antecipação da rescisão.

O Flamengo é mais favorito hoje do que era nas quartas da Copa do Brasil, quando venceu tanto na ZL quanto no Rio... Só não vai ganhar, e bem, se o Corinthians contrariar a lógica e, no Maraca apinhado, tiver uma atuação épica à Timão. Tudo, registre-se, que esse time atual não tem sido contra ninguém em nenhum estádio.

Acorda, Carille! Jesus é favorito, mas seja o que Deus quiser.

Saravá, São Jorge!

Franz Kafka: "Mesmo no caso de a esperança ser muito pequena, não tenho o direito de não usar as minhas possibilidades".

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Vitor Guedes
Vitor Guedes

42 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.