São Paulo empata com Coritiba e amplia série sem vitórias

Jejum tricolor atinge sete partidas com tropeço no Paraná

São Paulo

Pressionado após protestos da torcida, o São Paulo visitou o Coritiba neste domingo (4), em Curitiba, pelo Brasileirão, e não conseguiu se reencontrar com a vitória ao ficar apenas no empate por 1 a 1 após sair atrás no marcador.

Agora já são sete partidas seguidas sem conseguir nenhum triunfo (cinco igualdades e duas derrotas). No Nacional, foi o quarto confronto consecutivo que terminou com números iguais no placar. Antes, o clube havia empatado com Internacional, Santos e Bragantino.

A equipe do Morumbi chegou aos 20 pontos e deixou o G-4 da competição nacional.

O atacante Luciano tenta cabeceio no duelo em Curitiba - Rodolfo Buhrer/Reuters

O São Paulo iniciou a partida em cima e antes dos cinco minutos já havia conquistado dois escanteios. O jogo se complicou após falha individual de Juanfran.

Jonathan fez uma ligação direta para o ataque. Juanfran, que estava na cobertura da defesa, deixou a bola quicar e viu o jogador do Coxa, Gabriel, ser mais rápido e partir em direção ao gol. O último recurso dele, então, foi fazer a falta próximo da área. Na cobrança, Robson bateu com perfeição e abriu o marcador no Couto Pereira.

O gol colocou a equipe de Curitiba ainda mais na defesa. Com 11 jogadores marcando na intermediária defensiva, os mandantes praticamente abriram mão dos contragolpes e a partida se tornou um duelo de ataque contra defesa.

Nessa dinâmica, o time paulista teve a posse de bola e trocou passes, sem encontrar brechas. Na única boa oportunidade, que culminou no gol de Luciano, o tento foi anulado porque Pablo estava impedido na origem do lance. A jogada teve que ser revisada pelo VAR (árbitro de vídeo).

No mais, nada que assustasse os donos da casa. Os são-paulinos abusaram de bolas na área e pouco finalizaram até o intervalo.

Na etapa final, Diniz mexeu as peças da equipe. Sacou Tchê Tchê e Pablo para as entradas de Brenner e Vitor Bueno. Na prática, contudo, a estrutura seguiu parecida, com os laterais bem avançados, mas com pouca gente encostando neles para criar as jogadas de linha de fundo. Daniel Alves recuou mais para ajudar na saída de bola, enquanto Bueno cuidou da armação.

De tanto martelar, o Tricolor voltou a balançar a rede, porém mais uma vez foi barrado pelo VAR. Desta vez, era Luciano quem estava em posição de impedimento antes de a bola sobrar para Brenner marcar.
O empate, porém, veio. Após cobrança de falta de Daniel Alves, a bola bateu no braço de Hugo Moura. Pênalti. Reinaldo cobrou e deixou tudo igual.

A igualdade fez o Coxa ousar e buscar mais o ataque, deixando mais espaços.

O placar, contudo, seguiu inalterado, e a situação mais curiosa veio já nos acréscimos. Diniz fez sua última mudança restando 30 segundos para o fim. Tirou Luciano, que costuma se posicionar bem em lances de bola na área, quando o São Paulo tinha uma cobrança de escanteio, para botar Tréllez. O camisa 11 deixou o campo bravo, e Tréllez nem sequer pegou na bola.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.