Caneladas do Vitão: Novo normal pode acabar como o velho, com título tricolor

São Paulo comandar a tabela do Brasileiro já foi a praxe

São Paulo

Alguma coisa está fora da ordem, fora da nova ordem mundial... Alô, povão, agora é fé!

Bahia 1 x 3 São Paulo, confronto entre um adversário que luta contra a degola e um visitante na briga pelo título, não é um placar surpreendente, mas, paradoxalmente, ilustra a imprevisibilidade do “novo normal” do Campeonato Brasileiro.

Da série “tá todo o mundo louco, oba”, vitória são-paulina previsível à parte, quem poderia imaginar que um time comandado pelo gauchíssimo Mano Menezes ostentaria a pior defesa do Campeonato Brasileiro, com 37 gols sofridos?

O zagueiro Arboleda (à dir.) comemora com o lateral Reinaldo um dos gols da vitória do São Paulo sobre o Bahia - Miguel Schincariol/São Paulo FC

Mais que isso: que uma equipe do Mano atacaria muito mais e pressionaria durante toda a primeira etapa, mas enfrentaria uma equipe de Fernando Diniz sabendo sofrer e levando o 0 a 0 para o intervalo mesmo flagrantemente pressionada? E, no segundo tempo, decidindo na tranquilidade, na frieza, e sendo cirúrgico nas conclusões?

Mais surpreendente do que isso só se alguém dissesse que Arboleda se portaria bem na defesa, brilharia no ataque e ainda sairia com moral com a torcida tricolor! Normal, ou melhor, “novo normal” mesmo só outra atuação de gala e goleadora de Luciano, com direito a um gol de bicicleta e outro de matador.

O que no passado sempre foi normal, irritantemente normal para os adversários, mas há anos não acontece, é o São Paulo comandar a tabela de classificação e dar a volta olímpica ao término do campeonato...

E, se mantiver o aproveitamento de pontos (e, óbvio, os adversários também), o novo normal pode ser o velho normal: Tricolor campeão!

Agora, além de combinar com o próprio elenco são-paulino, que antes de atropelar o Bahia deixou quatro pontos pelo caminho tropeçando no Ceará e no Vasco, tem o Palmeiras embalado, o melhor elenco do Flamengo, o Atlético-MG...

Agora, como no velhíssimo e vitorioso normal, o São Paulo de Rogério Caboclo voltou a ser fortíssimo nos bastidores do futebol brasileiro...

*

O cara da rodada

Luciano A única contratação pedida por Diniz (que veio do Grêmio, trocado com Everton) continua decidindo como se tivesse o cartaz de um Pato! E, com os dois primeiros gols no 3 a 1 sobre o Bahia (o primeiro de bicicleta), deixou o Tricolor no cangote atleticano!

O atacante Luciano foi novamente decisivo - Miguel Schincariol/São Paulo FC

*

Troféus

Faxina
Duílio
O grupo liderado pelo atual presidente (Andrés Sanchez) ganhou a quinta eleição no Corinthians: Andrés, Mario Gobbi, Roberto de Andrade, Andrés novamente e, agora, Duílio Monteiro Alves. Ligado à chapinha 22 (Preto e Branco), que sempre deu sustentação à chapa (10) Renovação e Transparência, Duílio sabe que a torcida da maior parte dos eleitores (dele, de Augusto Melo e Mario Gobbi) é que ele aja com transparência, renove e faça uma faxina!

Vidente
Palpites
As derrotas de Coritiba, Botafogo, Sport, Bahia e Athletico-PR, além do empate entre Fortaleza e o desenganado Goiás, ajudaram o Vasco e o Ceará (que medem forças no Rio de Janeiro) e o Red Bull Bragantino (que visita o supreendente Fluminense) na armagedônica luta contra o inferno. E o Fluzão precisa vencer para voltar à zona de classificação à pré-Libertadores. Palpites do CovidãoBR de VARtebol: Vasco 1 x 0 Ceará e Fluminense 1 x 0 Bragantino.

*

Destaques da 23ª rodada do CovidãoBR de VARtebol

Arrancada paulista
São Paulo e Palmeiras, que vinham de tropeços contra rivais ameaçados de rebaixamento, voltaram a vencer com autoridade e, respectivamente, com um e dois jogos a menos, mantiveram-se na perseguição ao líder Atlético-MG. O Tricolor é o líder por pontos perdidos e por aproveitamento! O Santos, que vinha de derrota para o Athletico-PR, despachou o Sport e, se não vai brigar pelo título, deixou claro que estará na próxima (pré)Libertadores. E o Corinthians, após o heroico empate com 9 contra 11 (sem contar o trio de arbitragem e o lixo do VAR, tchê!), venceu o confronto direto com o Coxa e foi catapultado ao décimo lugar!

Seleção dos melhores da rodada do Brasileirão
Arte Agora
Seleção dos piores da rodada do Brasileirão
Arte Agora

*

Mario Quintana: “O passado não reconhece o seu lugar, está sempre presente”.

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca! E no agora.com.br!

Vitor Guedes
Vitor Guedes

43 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.