Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Glórias do passado não são a solução do presente tricolor

Sem ganhar um título de primeira grandeza desde 2008, o São Paulo queimou um ídolo para cada ano de fila

São Paulo

Nossos ídolos ainda são os mesmos e as aparências não enganam, não... Alô, povão, agora é fé!... Sem ganhar um título de primeira grandeza desde 2008, o São Paulo queimou um ídolo para cada ano de fila.

Sem contar veteranos que nem ídolos são, que custaram uma bala e não ganharam nada (Petros, Jucilei e, agora, Daniel Alves, entre muitos outros), o São Paulo repatriou no jejum Kaká, Lugano, Hernanes, Maicon, Pato, Miranda... Todos com o aval da maior parte da torcida! Até Rogério Ceni, como treinador, Raí, Lugano e Ricardo Rocha, como cartolas, também fracassaram de forma retumbante no regresso ao Morumbi.

Miranda faz seu primeiro treino no CT da Barra Funda após a volta ao São Paulo
Miranda faz seu primeiro treino no CT da Barra Funda após a volta ao São Paulo - Divulgação/saopaulofc.net

Cerezo deu certo no tri mundial e Raí voltou para ganhar o Paulista de 1998. Miranda, que não tem mais bola para ser titular da seleção brasileira nem para jogar na Inter e no Atlético de Madrid, até poderia somar e acrescentar ao São Paulo. Desde que fosse um time pronto, bom, jovem e que ele fosse a peça experiente com história. Com William e Orejuela, o Tricolor de Miranda tem muito menos chance de dar certo que teria o Tricolor de Antony, David Neres, Brenner. Exportar o futuro para apostar no passado é, há 12 anos, receita cara de fracasso!

É claro que o Tricolor, que não ganha o Paulista, a Libertadores e o Mundial, desde 2005, e o Brasileiro, desde 2008, uma hora vai voltar a ganhar. E, para um clube que se vangloria de Cotia desde que se autointitulava "Soberano", as opções sinalizam que o clube, olhando para o passado, não tem pressa. Deveria!

Não é um erro exclusivo são-paulino. Para ficar em exemplos rivais, Valdivia, no Palmeiras, e Cristian, no Corinthians, foram grandes fiascos. Mas nada supera o Santos, que insistiu na contratação de Robinho, CONDENADO em duas instâncias por ESTUPRO na Itália, até que a pressão dos patrocinadores obrigaram o Peixe a desistir.

Machado de Assis, em Memórias Póstumas de Brás Cubas: "Não se ama duas vezes a mesma mulher".

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca! No agora.com.br! E no youtube.com/blogdovitao!

Mata-mata
Enquanto a FPF luta para manter o Paulista e a Copa do Brasil toca a vida, as 2.736 MORTES (subnotificações à parte) de ontem elevaram para 285.136 o número de MORTES provocadas pela "gripezinha" no país desgovernado por um lunático vendedor de cloroquina. O ex-país do futebol é o país epicentro da pandemia mundial!

Simeone
O Atlético de Madrid de Simeone não atacou no 0 a 0, tirou Suárez quando já perdia por 1 a 0 (e levou o 2 a 0, 3 a 0 no agregado) e, covarde, parou no Chelsea. O atual campeão Bayern treinou, fez 2 a 1 na Lazio (6 a 2 na soma) e é o time a ser batido por Manchester City, Liverpool, Real, Dortmund, PSG , Chelsea e Porto na Liga dos Campeões.

Vitor Guedes
Vitor Guedes

44 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.