Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Homofobia da Uefa é goleada pela numerosa empatia colorida

O discurso mentiroso de não tomar lado "político", na prática, apoia claramente a manutenção de preconceitos

São Paulo

Nós vivemos debaixo do pano, entre espadas e rodas de fogo, entre luzes e a dança das cores... Alô, povão, agora é fé! Da série "somos todos iguais nesta noite", a Uefa proibiu que a Allianz Arena, que abriga hoje Alemanha x Hungria, seja iluminada com as cores do arco-íris para não contrariar o homofóbico e reacionário governo de extrema-direita húngaro.

O discurso mentiroso de não tomar lado "político", na prática, apoia claramente a manutenção de preconceitos: "neutralidade" é adesão às forças reacionárias que não aceitam que todos, gays inclusos, sejam iguais.

Allianz Arena, estádio do Bayern de Munique, pintado com as cores do arco-íris; a Uefa não liberou usar as cores no jogo da Alemanha contra a Hungria
Allianz Arena, estádio do Bayern de Munique, pintado com as cores do arco-íris; a Uefa não liberou usar as cores no jogo da Alemanha contra a Hungria - Andreas Gebert/Pool/AFP

Não surpreende. A Uefa é a versão europeia das federações estaduais e das confederações brasileira e sul-americana. São os mesmos antros coniventes com preconceitos, negociatas e históricos fartos de corrupção, lavagem de dinheiro e com ex-dirigentes presos no atacado.

Se a ideia era focar só no jogo, a proibição teve o efeito contrário e deu ainda mais visibilidade e empatia à causa gay. Assim como a tarja de capitão de Neuer nas cores do arco-íris chamaram muito mais atenção porque a Uefa cogitou punir o goleiro, o covarde posicionamento da entidade europeia em relação a vetar a iluminação do estádio do Bayern fez com que jogadores, clubes e treinadores se posicionassem com simpatia! Torcedores também se organizaram para levantar a bandeira hoje.

Basta de preconceito!

Palpites da Eurocopa: Alemanha 2 x 0 Hungria, Portugal 1 x 1 França, Eslováquia 0 x 1 Espanha e Suécia 0 x 0 Polônia.

Selecloroquina da CBF? Registremos que 504.897 MORRERAM de "gripezinha" no desgovernado país (paralelamente assessorado por Osmar Terra) sede da Copa América! E nenhum machão da seleção se posicionou em solidariedade às vítimas! Como se calaram em relação à funcionária assediada sexualmente!

Truman Capote: "Somos livres de fazer e dizer o que individualmente queremos, sempre que esta liberdade e ação não prejudiquem ao próximo".

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar! E zelar, claro, vem de ZL! É tudo nosso! É nóis na banca! No agora.com.br! E no youtube.com/blogdovitao!

Desafio verde
Sem poder contar com os baladeiros clandestinos Patrick Piercing de Paula e Lucas Lima, o time de Abel Ferreira vai ter que jogar 818 vezes mais do que fez na sofrida vitória sobre o América para superar o Red Bull Bragantino e, pois, ultrapassá-lo na tabela do Campeonato Brasileiro. Palpite: Bragantino 1 x 1 Palmeiras.

Vamos, São Paulo!
Como, ao contrário de Daniel Tantã Alves, a torcida do São Paulo não sonha com a medalha olímpica, é bom o Tricolor desencantar no Brasileiro, ganhar o confronto direto com o Cuiabá e sair da armagedônica zona do rebaixamento. Palpites: São Paulo 2 x 1 Cuiabá, Flamengo 2 x 1 Fortaleza e Atlético-GO 1 x 1 Fluminense.

Vitor Guedes
Vitor Guedes

44 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.