Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Transplantado aguarda entrega de remédio para o rim

Medicamento está em falta na Farmácia de Alto Custo da Vila Mariana

Havolene Valinhos
São Paulo

O aposentado por invalidez Célio Antônio Salomão, 51 anos, da Vila Califórnia (zona leste), conta que fez um transplante de rim há 20 anos e, desde então, precisa tomar dois comprimidos do medicamento tracolimo 5 mg todos os dias para evitar a rejeição do órgão.

O aposentado por invalidez Célio Antônio Salomão, 51 anos, conta que, neste mês, foi duas vezes à Farmácia de Alto Custo para tentar retirar o remédio tracolimo 5 mg para transplante de rim
O aposentado por invalidez Célio Antônio Salomão, 51 anos, conta que, neste mês, foi duas vezes à Farmácia de Alto Custo para tentar retirar o remédio tracolimo 5 mg para transplante de rim - Ronny Santos/Folhapress


O leitor lembra que já solicitou a intervenção do Agora outras vezes para conseguir retirar o remédio gratuitamente na rede pública de saúde.  “É triste termos que recorrer sempre à imprensa.”

 Ele relata que o medicamento está em falta na Farmácia de Alto Custo Vila Mariana há um mês. “Não sou apenas eu que volto com as mãos abanando de lá, com certeza são muitos pacientes”, afirma. 

Salomão conta que tem ido pessoalmente à farmácia de alto custo a cada 15 dias. No entanto, apenas é informado que não há previsão para recebê-lo.

“Os pacientes chegam para buscar os remédios de madrugada, ficamos na fila durante horas e, cada vez, dão respostas diferentes. A gente gasta tempo e condução. Quando tem o medicamento, só nos entregam para 15 dias, no máximo. É um desrespeito com o cidadão”, afirma à reportagem.

“Passaram um número de telefone para ligar antes de ir à farmácia. Porém, canso de ligar e ninguém atende. Era de se esperar”, queixa-se à reportagem.

Ministério da Saúde: 136

Secretaria de Estado da Saúde
Tel.: (11) 3066-8000

Secretaria diz que há atraso

 A Coordenadoria de Assistência Farmacêutica diz que o medicamento tracolimo 5mg é comprado e enviado aos Estados pelo Ministério da Saúde. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, o órgão federal tem enviado os medicamentos parcialmente e fora dos prazos. 

Para o segundo trimestre, afirma, foram solicitados 489,7 mil comprimidos, mas o governo federal entregou apenas 140 mil (cerca de 28,5% do solicitado). Em nota, esclarece que, à medida que os lotes dos remédios chegam a São Paulo, são redistribuídos para as farmácias, e a pasta mantém diálogo com o governo federal para evitar impactos na assistência. 

Especificamente sobre o Tacrolimo, o Estado diz que, enquanto o órgão federal tem enviado com quantidades abaixo do solicitado, a pasta tem feito dispensações parciais a fim de garantir a assistência ao maior número de pacientes possíveis.

O Ministério da Saúde afirma que concluiu todos os processos de licitação para compra de medicamentos adquiridos de forma centralizada pela pasta.

Segundo o órgão, os fármacos estão sendo enviados, ao longo deste mês, para as secretarias estaduais de saúde que, por sua vez, distribuem aos municípios para abastecimento de toda a rede de saúde pública.

A distribuição do medicamento tacrolimo, diz a nota do órgão federal, será realizada até o final da próxima semana para as Secretarias Estaduais de Saúde que, por sua vez, faz a distribuição para toda a rede.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.